Pela enésima vez governo recua e tira Murilo Resende do Enem

O governo Bolsonaro recuou e decidiu suspender a nomeação do economista Murilo Resende Ferreira para assumir a coordenação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio); a nomeação já havia sido estampada em edição extra do Diário Oficial da União, por meio de uma portaria assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; o ministro não soube justificar a desistência do nome de Resende

Pela enésima vez governo recua e tira Murilo Resende do Enem
Pela enésima vez governo recua e tira Murilo Resende do Enem
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O governo Bolsonaro recuou e decidiu suspender a nomeação do economista Murilo Resende Ferreira para assumir a coordenação do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). A nomeação já havia sido estampada em edição extra do Diário Oficial da União, por meio de uma portaria assinada pelo ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni. O ministro não soube justificar a desistência do nome de Resende. 

A reportagem do portal UOL destaca: "defensor das ideias do programa Escola Sem Partido e crítico do que classifica como 'ideologia de gênero', Ferreira chegou a chamar os professores brasileiros de 'manipuladores' que não querem "estudar de verdade" ao participar de uma audiência pública do MPF-GO (Ministério Público Federal de Goiás) em 2016."

E acrescenta: "Ferreira foi integrante do MBL (Movimento Brasil Livre), um dos principais grupos que foram às ruas para pedir o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). Segundo Alan Santos, um dos líderes do MBL, Ferreira foi expulso do grupo."

A matéria ainda informa que "a indicação do nome de Ferreira para o posto gerou controvérsias. Daniel Cara, coordenador geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, afirmou que a nomeação do economista demonstrava compromisso com uma visão de que o Enem seria um instrumento de 'doutrinação'."

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247