Petroleiros aderem à greve nacional da Educação

Segundo o coordenador da FUP, José Maria Rangel, há uma relação direta entre os desmontes que estão sendo encampados pelo governo na Petrobras e os ataques à Educação pública; “Estaremos juntos porque somos contra a privatização que está ocorrendo em nossa empresa. Não mexa com a Educação e não mexam com a Petrobras”, disse ele em vídeo

Petroleiros aderem à greve nacional da Educação
Petroleiros aderem à greve nacional da Educação

247 - O coordenador da Federação Única dos Petroleiros (FUP), José Maria Rangel, anunciou nesta segunda-feira (6) que a FUP apoiará a Greve Nacional da Educação marcada para o dia 15 de maio.

Convocada pela Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e outras entidades, a paralisação de professores, estudantes e servidores públicos será acompanhada de uma mobilização em todo o país contra o corte de 30% no orçamento de 2019 para todas as universidades e institutos federais de ensino do país, numa clara perseguição ideológica às instituições.

Em vídeo, Rangel explicou a relação direta que há entre os desmontes que estão sendo encampados pelo governo na Petrobras e os ataques à Educação pública.

"Quando descobrirmos o pré-sal, tínhamos certeza que parte significativa dos recursos dessa riqueza tinha que ser destinada à educação pública. Por que nós tinhamos a verdadeira dimensão do que significa uma educação de qualidade em um país tão desigual quanto o nosso", afirmou.

Segundo Rangel, há um "verdadeiro desmonte do setor público" nos últimos anos e a recente "criminalização do pensamento". “Estaremos juntos porque somos contra a privatização que está ocorrendo em nossa empresa. Não mexa com a Educação e não mexam com a Petrobras”, disse.

Inscreva-se na TV 247 e assista: 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247