PF conclui que Temer foi um corrupto “com vigor”

Expressão consta em relatório preliminar da Polícia Federal, que aponta "evidências" da prática de corrupção passiva por parte de Michel Temer e de seu ex-assessor especial e ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR); "Diante do silêncio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado neste autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva", diz trecho do documento com a conclusão da PF; na Rússia, Temer se recusou a comentar o relatório da PF parcial nesta terça, dizendo que não comenta questões jurídicas

Expressão consta em relatório preliminar da Polícia Federal, que aponta "evidências" da prática de corrupção passiva por parte de Michel Temer e de seu ex-assessor especial e ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR); "Diante do silêncio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado neste autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva", diz trecho do documento com a conclusão da PF; na Rússia, Temer se recusou a comentar o relatório da PF parcial nesta terça, dizendo que não comenta questões jurídicas
Expressão consta em relatório preliminar da Polícia Federal, que aponta "evidências" da prática de corrupção passiva por parte de Michel Temer e de seu ex-assessor especial e ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR); "Diante do silêncio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado neste autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva", diz trecho do documento com a conclusão da PF; na Rússia, Temer se recusou a comentar o relatório da PF parcial nesta terça, dizendo que não comenta questões jurídicas (Foto: Gisele Federicce)

247 - A Polícia Federal concluiu que houve "evidências", "com vigor", da prática de corrupção passiva por parte de Michel Temer e de seu ex-assessor especial e ex-deputado Rodrigo da Rocha Loures (PMDB-PR).

"Diante do silêncio do Mandatário Maior da Nação e de seu ex-assessor especial, resultam incólumes as evidências que emanam do conjunto informativo formado neste autos, a indicar, com vigor, a prática de corrupção passiva", diz trecho do documento, divulgado pela Folha.

O relatório diz "concluir pela prática" do crime de corrupção passiva de Temer "em face de, valendo-se da interposição de Rodrigo Rocha Loures, ter aceitado promessa de vantagem indevida em razão da função". Rocha Loures também praticou o crime, diz a PF.

Os investigadores não chegaram ainda a uma conclusão sobre o crime de obstrução à Justiça por aguardar a perícia oficial da gravação feita pelo empresário Joesley Batista de uma conversa com Temer no Palácio do Jaburu.

Na Rússia, Temer se recusou a comentar o relatório parcial da PF nesta terça, dizendo que não comenta questões jurídicas. "Vamos esperar, isso é juízo jurídico e não político, e eu não faço juízo jurídico", disse.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247