PF descarta sabotagem em aeronave onde estava Teori

Perícia realizada pelo Grupo de Bombas e Explosivos da Polícia Federal do Rio de Janeiro não detectou sinais de explosivos, produtos químicos ou de que tenha ocorrido um incêndio interno no avião, o que faz a corporação rejeitar a hipótese de sabotagem na aeronave em investigação sobre o acidente que matou o então ministro do STF e mais quatro pessoas há um ano em Paraty (RJ)

Teori Zavascki acidente
Teori Zavascki acidente (Foto: Gisele Federicce)

247 - A Polícia Federal descarta a hipótese de sabotagem na aeronave onde estava o então ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki quando morreu em um acidente há um ano em Paraty (RJ).

Segundo reportagem de Rubens Valente, da Folha, a perícia realizada pelo Grupo de Bombas e Explosivos da PF do Rio de Janeiro não detectou sinais de explosivos, produtos químicos ou de que tenha ocorrido um incêndio interno no avião.

A morte de Teori, que era relator dos processos da Lava Jato no Supremo, gerou consternação nacional, além de suspeitas, uma vez que ele estava prestes a proferir seu voto sobre políticos envolvidos em escândalos de corrupção.

A PF não tem data para encerrar o inquérito, depende de levantamentos que estão sendo realizados por empresas e outros órgãos, informa a Folha.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247