PF faz operação para apurar morte de indígenas por garimpeiros em Roraima

Operação Ábdito, deflagrada nesta quinta-feira (29), cumpre mandados de busca e apreensão visando identificar garimpeiros ilegais que teriam assassinado dois indígenas na Terra Indígena Yanomami, em Roraima. O crime aconteceu em junho deste ano

Polícia Federal
Polícia Federal (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Karine Melo, Agência Brasil - A identificação de envolvidos na morte de dois indígenas em junho deste ano, na Terra Indígena Yanomami, por garimpeiros ilegais que atuariam na região é o objetivo da Operação Ábdito, da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira (29).

Na ação, policiais federais cumprem quatro mandados de busca e apreensão em Boa Vista (RR), expedidos pela 1ª Vara Federal de Roraima. A apuração do caso começou imediatamente após terem ocorrido as mortes e diligências foram realizadas pela PF na região do conflito, dentro da Terra Indígena Yanomami.

As investigações indicam que um grupo de indígenas estaria caçando, em região isolada, na mata, quando se depararam com garimpeiros armados, que os perseguiram e atiraram. Somente o corpo de uma das vítimas foi encontrado. No local foram encontrados indícios de atividade de pesquisa para o garimpo ilegal e de um acampamento utilizado pelos garimpeiros, bem como evidências das mortes, como cartuchos de espingardas deflagrados.

Em junho a Polícia Federal identificou um dos suspeitos do crime, atualmente foragido, e pediu sua prisão preventiva, os agentes também cumpriram mandados em endereços relacionados ao investigado. Os policiais constataram que o garimpeiro conta com o apoio de uma rede de familiares e amigos que estariam, ativamente, atrapalhando as investigações e teriam possibilitado a sua fuga. Além de buscar a qualificação dos demais garimpeiros, a operação também busca desarticular os “apoiadores” e investigar sua participação em crimes como associação criminosa e favorecimento pessoal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247