PF pede que inquérito contra Marcos Pereira saia do STF e volte à 1ª instância

PF pediu ao relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, que o processo contra o ex-ministro e presidente do PRB, Marcos Pereira, retorne à primeira instância; Pereira deixou o cargo no início de janeiro, o que fez com que perdesse o foro privilegiado; inquérito foi instaurado com base em delações premiadas de executivos da Odebrecht que relataram o pagamento de propinas para garantir o apoio de quatro partidos à campanha de Dilma Rousseff em 2010. Pereira teria recebido R$ 7 milhões para assegurar o apoio do partido na eleição

PF pediu ao relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, que o processo contra o ex-ministro e presidente do PRB, Marcos Pereira, retorne à primeira instância; Pereira deixou o cargo no início de janeiro, o que fez com que perdesse o foro privilegiado; inquérito foi instaurado com base em delações premiadas de executivos da Odebrecht que relataram o pagamento de propinas para garantir o apoio de quatro partidos à campanha de Dilma Rousseff em 2010. Pereira teria recebido R$ 7 milhões para assegurar o apoio do partido na eleição
PF pediu ao relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, que o processo contra o ex-ministro e presidente do PRB, Marcos Pereira, retorne à primeira instância; Pereira deixou o cargo no início de janeiro, o que fez com que perdesse o foro privilegiado; inquérito foi instaurado com base em delações premiadas de executivos da Odebrecht que relataram o pagamento de propinas para garantir o apoio de quatro partidos à campanha de Dilma Rousseff em 2010. Pereira teria recebido R$ 7 milhões para assegurar o apoio do partido na eleição (Foto: Paulo Emílio)

247 - A Polícia Federal (PF) pediu ao relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, que o processo contra o ex-ministro Marcos Pereira seja retirado da Corte e retorne à primeira instância. Pedido foi motivado pelo fato de Pereira ter eixado o cargo no início de janeiro, o que fez com que perdesse o foro privilegiado.

Marcos Pereira deixou a pasta da Indústria, Comércio Exterior e Serviços no dia 3 de janeiro alegando "questões pessoais e partidárias". O cargo ainda continua vago uma vez que Michel Temer espera uma indicação do PRB, legenda da qual o ex-ministro é presidente nacional.

O inquérito contra Marcos Pereira foi instaurado com base em delações premiadas de executivos da Odebrecht que relataram o pagamento de propinas para garantir o apoio de quatro partidos à campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República em 2010. Pereira é suspeito de ter recebido R$ 7 milhões para assegurar o apoio do partido na eleição.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247