PF prende 60 por tráfico internacional de drogas e apreende carros de luxo

As ações, batizadas de Oceano Branco e Contentor, fazem parte de investigações que já levaram à apreensão de mais de 10 toneladas de drogas no Brasil e Europa; até as 10h, ao menos 56 foram presos; em Joinville, Santa Catarina, carros de luxo foram apreendidos em uma revendedora

As ações, batizadas de Oceano Branco e Contentor, fazem parte de investigações que já levaram à apreensão de mais de 10 toneladas de drogas no Brasil e Europa; até as 10h, ao menos 56 foram presos; em Joinville, Santa Catarina, carros de luxo foram apreendidos em uma revendedora
As ações, batizadas de Oceano Branco e Contentor, fazem parte de investigações que já levaram à apreensão de mais de 10 toneladas de drogas no Brasil e Europa; até as 10h, ao menos 56 foram presos; em Joinville, Santa Catarina, carros de luxo foram apreendidos em uma revendedora (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SÃO PAULO (Reuters) - A Polícia Federal cumpre, nesta terça-feira, 60 mandados de prisão, 12 de condução coercitiva e 104 de busca e apreensão como parte de investigações sobre tráfico internacional de cocaína através de portos de Santa Catarina.

As organizações criminosas investigadas enviavam pacotes de cocaína escondidos em contêineres que eram exportados para a Europa, informou a PF, em comunicado.

Como parte das investigações, a polícia apreendeu 8 toneladas de cocaína no Brasil, Bélgica, França e Espanha. Também foram encontradas ligações entre o esquema criminoso e apreensões de drogas na Itália, Dinamarca, Espanha, Arábia Saudita e Turquia.

Parte das drogas era adquirida na região de fronteira, principalmente com a Bolívia, e então levadas para Santa Catarina em pequenos aviões, disse a polícia. Em seguida, a cocaína era transportada para o porto de Itapoá, onde era escondida em contêineres.

As investigações demonstraram que as quadrilhas atuavam inserindo clandestinamente cargas de drogas em contêineres com mercadorias lícitas a serem exportadas.

Reportagem de Bruno Federowski; Reportagem adicional de Lisandra Paraguassu, em Brasília

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247