PF vê risco da J&F não devolver os R$ 10 bilhões da leniência

A Polícia Federal divulgou relatório no qual alega riscos da empresa J&F não devolver os R$ 10 bilhões no acordo de leniência firmado entre a empresa e o Ministério Público Federal e a Procuradoria-Geral da República; o acordo está suspenso pela 10ª Vara Federal de Brasília até que o STF julgue a validade das delações prestadas pelos executivos do grupo; para a PF há risco de insolvência de algumas das empresas da holding

Visão geral de unidade da processadora de carne JBS, na cidade de Lapa, no Paraná 21/03/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Visão geral de unidade da processadora de carne JBS, na cidade de Lapa, no Paraná 21/03/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Charles Nisz)

247 - Em relatório, a Polícia Federal ressalta a ‘necessidade de extrema cautela’ diante da chance de a J&F não honrar o acordo de leniência firmado com o Ministério Público Federal, fazendo com que  ‘o Estado brasileiro venha a sofrer um calote ainda maior’, ao deixar de ser ressarcido pelos prejuízos causados pelos esquemas de corrupção envolvendo o grupo.

O acordo está suspenso na área penal, pela 10ª Vara Federal de Brasília, o que impede que pessoas ligadas à holding se beneficiem do termo na Justiça, o pagamento da multa de R$ 10,3 bilhões e os benefícios acordados para a empresa continuam valendo. A suspensão permanece até a decisão final do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a validade da delação dos executivos do grupo.

 A Justiça bloqueou R$ 60 milhões da família, mas a Polícia Federal e o Ministério Público Federal entenderam que era necessário ampliar o bloqueio -  o prejuízo estimado por operações irregulares da JBS com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) é de ao menos R$ 1,2 bilhão. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247