PGR denuncia Agripino, moralista sem moral, por propinas de R$ 2 milhões

O senador Agripino Maia (DEM-RN), que vestiu camisa amarela nos protestos contra a corrupção que levaram ao golpe de 2016, foi denunciado ontem pela procuradoria-geral da República por corrupção passiva; o motivo: as propinas de R$ 2 milhões que ele teria recebido das empreiteiras envolvidas na construção da Arena das Dunas, em Natal (RN); Agripino é também acusado de lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, mas nega participação no esquema

Agripino Maia
Agripino Maia (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O senador Agripino Maia (DEM-RN), que vestiu camisa amarela nos protestos contra a corrupção que levaram ao golpe de 2016, foi denunciado ontem pela procuradoria-geral da República por corrupção passiva.

O motivo: as propinas de R$ 2 milhões que ele teria recebido das empreiteiras envolvidas na construção da Arena das Dunas, em Natal (RN).

"O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou uma denúncia contra o senador e presidente do DEM José Agripino Maia (RN), em inquérito aberto para investigar recebimento de propina relacionada a obras da Arena das Dunas, estádio na cidade de Natal palco de jogos na Copa do Mundo em 2014", informa reportagem dos jornalistas Bruno Pires e Rafael Moraes Moura, publicada no Estado de S. Paulo.

"O relatório da Polícia Federal sobre o caso, finalizado em agosto, atribuiu o recebimento de propina de R$ 2 milhões da OAS ao senador José Agripino (DEM-RN). A PF vê envolvimento do parlamentar e do empreiteiro Léo Pinheiro em irregularidades no financiamento do BNDES destinado a obras na Arena das Dunas, estádio em Natal para a Copa de 2014", dizem os repórteres.

Agripino é também acusado de lavagem de dinheiro pela Polícia Federal, mas nega participação no esquema.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247