PGR investiga Dallagnol por Fundação Lava Jato

Corregedoria da PGR abriu um procedimento para analisar os atos praticados por procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões de multas pagas pela Petrobrás; um dos principais alvos da investigação é o procurador Deltan Dallagnol, o articulador e porta-voz da iniciativa agora frustrada; ousadia de Dallagnol foi tamanha que ele já estava negociando com a Caixa Econômica Federal (CEF) alternativas de investimentos dos R$ 2,5 bilhões

www.brasil247.com - PGR investiga Dallagnol por Fundação Lava Jato
PGR investiga Dallagnol por Fundação Lava Jato


247 - A corregedoria da Procuradoria-Geral da República (PGR) abriu um procedimento para analisar os atos praticados por procuradores da Lava Jato que tentaram criar um fundo de R$ 2,5 bilhões de multas pagas pela Petrobras. Um dos principais alvos da investigação é o procurador Deltan Dallagnol, o articulador e porta-voz da iniciativa agora frustrada, informa Mônica Bergamo. Segundo revelação do jornalista Luis Nassif, a ousadia de Dallagnol foi tamanha que ele já estava negociando com a Caixa Econômica Federal (CEF) alternativas de investimento dos R$ 2,5 bilhões.

De acordo com o Jornal GGN, no dia 25 de janeiro a CEF, por meio da diretoria jurídica e da vice-presidência de Fundos de Governo e Loteria, responderam a uma solicitação de Dallagnol e informaram que até "que a titularidade dos recursos fosse definida, eles seriam remunerados por 100% da taxa Selic", descontada a taxa de administração.

Após a constituição da fundação, "a taxa de administração ficaria em 0,10% ao ano" e "os recursos poderiam ser aplicados em títulos públicos pós-fixados ou em CDBs. Ou uma ampla gama de fundos de investimentos", diz a reportagem.

Para Carol Proner, integrante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD), o fato é "gravíssimo". "Isso é gravíssimo! O procurador central da Lava Jato, Deltan Martinazzo Dallagnol, negociou alternativas de remuneração do dinheiro da Petrobras", postou no Twitter.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A criação da Fundação Lava Jato foi amplamente criticada e acabou com um pedido de nulidade do acordo por parte da procuradora-geral da República, Raquel Dodge. Diante da pressão, os procuradores acabaram por recuar e desistir da criação do fundo para administrar os recursos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Dodge considerou a fundação da Lava Jato como uma "lesão a direitos fundamentais e estruturantes da República do Brasil" e que os procuradores não possuem poderes legais e constitucionais para assinar um acordo de natureza administrativa. (Leia no Brasil 247).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira o Twitter de Carol Proner sobre o assunto.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email