PGR quer manter Joesley preso por cinco anos

A proposta de repactuação da delação de Joesley Batista, dono da JBS, prevê cinco anos de cadeia e uma multa duas vezes maior; a oferta, no entanto, foi rechaçada pela defesa

Empresário Joesley Batista deixa sede da Polícia Federal, em São Paulo 11/09/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto
Empresário Joesley Batista deixa sede da Polícia Federal, em São Paulo 11/09/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto (Foto: Leonardo Attuch)

247 – A proposta de repactuação da delação de Joesley Batista, dono da JBS, prevê cinco anos de cadeia e uma multa duas vezes maior.

A oferta, no entanto, foi rechaçada pela defesa.

Abaixo, a informação da revista Época:

Procuradores que atuam no grupo de trabalho da Lava Jato na Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentaram aos advogados de Joesley Batista e Ricardo Saud nesta segunda-feira (11) uma proposta de repactuação de suas delações premiadas. Os investigadores propuseram cinco anos em regime fechado e que os dois dobrassem o valor da multa a que se comprometeram, em maio, a pagar. Só a de Joesley foi acertada em R$ 110 milhões. O pagamento deverá ser feito ao longo de dez anos.

Os advogados dos executivos do J&F rechaçaram imediatamente a proposta e fizeram uma contraproposta para que não ficassem presos nem mesmo por um dia.   

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247