Pimenta: único objetivo de Paulo Guedes é garantir o interesse dos bancos

O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a bater boca com parlamentares durante sua fala na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara nesta quarta-feira (3); ao defender o sistema de capitalização, Guedes teve que ouvir críticas que citavam o Chile, país que adotou o regime; depois de ter sido agressivo, pediu desculpas; para o líder do PT, Paulo Pimenta, "ficou claro", com a fala do ministro, que "o único objetivo" dele é "garantir o interesse dos bancos em detrimento da população" e ainda "não apresentou um argumento que sustente" a reforma do governo Bolsonaro

Pimenta: único objetivo de Paulo Guedes é garantir o interesse dos bancos
Pimenta: único objetivo de Paulo Guedes é garantir o interesse dos bancos (Foto: Agência Câmara/Agência Brasil)

247 - O ministro da Economia, Paulo Guedes, voltou a bater-boca com parlamentares durante sua fala na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, nesta quarta-feira (3). Ao defender o sistema de capitalização, Guedes disse aos deputados: "Se quiserem, embarquem seus filhos no avião em que vocês estão e vão acabar como Rio de Janeiro, Minas Gerais".

A afirmação gerou gritos de "Chile" no plenário, em alusão aos problemas previdenciários enfrentados pelo país após adotar o regime defendido por Guedes.

Guedes ficou incomodado com as críticas e deu início a um bate-boca com deputados da oposição. Em tom irônico, Guedes se dirigiu ao deputado Henrique Fontana (PT-RS): "Deputado, fale mais alto do que eu".

A bancada governista saiu em defesa de Guedes e aos gritos deputados homens mandaram colegas mulheres "calarem a boca". 

"Me aconselharam a não reagir, mas tentei ser atencioso", justificou Guedes, pedindo desculpas na tentativa de minimizar o estrago. "Tenho que dar explicações e não preciso me exaltar, me desculpe", disse.

As desculpas não convenceram. "O senhor respeite esta casa, porque se tem alguém aqui com poder somos nós, delegados pelo povo", afirmou o deputado José Guimarães (PT-CE). "Aqui nós podemos falar o que quisermos e questioná-lo sobre qualquer assunto", completou.

"De tudo que falavam sobre o Paulo Guedes, confesso que achei muito fraco e muito despreparado. Achei que nós íamos encontrar alguém com capacidade de defender a proposta do governo Bolsonaro, a proposta pé na cova. Mas na verdade apareceu aqui um indivíduo que não teve nenhum argumento consistente para sustentar a lógica desse modelo de Previdência com regime de capitalização que eles estão propondo", afirmou o deputado Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara.

Para Pimenta, "ficou claro" que o único objetivo do ministro é "garantir os direitos dos bancos em detrimento do interesse da população". Paulo Guedes "não apresentou nenhum argumento consistente para sustentar" a proposta da reforma da Previdência do governo Bolsonaro, acrescentou o líder do PT.

O deputado Reginaldo Lopes (PT-MG) disse que o ministro "faltou com a verdade" ao afirmar que o governo gasta R$ 700 bilhões com a Previdência Social. Ele lembrou que parte desses recursos foi para pagamento da seguridade social. Segundo ele, Guedes é tratado pela mídia e pelo mercado como último "gatorade do deserto" e considerou sua apresentação técnica medíocre. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247