Pinheiro, que foi pressionado a delatar, quer sair da cadeia em 6 meses

Preso desde setembro de 2016, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro apelo ao TRF-4 para sair da cadeia daqui a seis meses; Leo Pinheiro, que primeiro havia negado a relação de Lula com o apartamento, foi pressionado a mudar de opinião com uma sentença longa à cadeia; agora que acusou Lula, ele pleiteia a confirmação do benefício dado pelo juiz Sergio Moro, que limitou seu tempo de prisão a dois anos e seis meses, apesar de a soma de suas penas alcançarem 45 anos e cinco meses de prisão

Pinheiro, que foi pressionado a delatar, quer sair da cadeia em 6 meses
Pinheiro, que foi pressionado a delatar, quer sair da cadeia em 6 meses

247 - Preso desde setembro de 2016, o empreiteiro Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, pediu ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) que seja reconhecido o peso de sua delação para o esclarecimento do caso do tríplex.

Leo Pinheiro, que primeiro havia negado a relação de Lula com o apartamento, foi pressionado a mudar de opinião com uma sentença longa à cadeia. Agora que acusou Lula, ele pleiteia o direito de sair do cárcere bem antes disso. 

Em apelação aos desembargadores, ele pleiteia penas mínimas para os crimes cometidos e confirmação do benefício dado pelo juiz Sergio Moro, que limitou seu tempo de prisão a dois anos e seis meses, apesar de a soma de suas penas alcançarem 45 anos e cinco meses de prisão.

Se valer a sentença de Moro, daqui a seis meses Pinheiro pode pedir progressão do regime fechado, independentemente de ter ressarcido à Petrobras os valores cobrados pelo Ministério Público Federal. No caso do tríplex, a quantia alcança R$ 16 milhões em contratos fechados com a estatal.

Até a tarde de ontem, a defesa do empresário ainda não havia se inscrito para sustentação oral durante o julgamento de hoje. De acordo com informações do TRF-4, os advogados podem se inscrever para falar também durante a sessão.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247