Pizzolato deve chegar ao Brasil nesta sexta-feira

Agentes da Polícia Federal já estão na Itália para acompanhar o retorno do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato; expectativa é que ele seja extraditado na quinta-feira e desembarque no Brasil na sexta, quando irá para Brasília, cumprir a pena a que foi condenado na Ação Penal 470

Agentes da Polícia Federal já estão na Itália para acompanhar o retorno do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato; expectativa é que ele seja extraditado na quinta-feira e desembarque no Brasil na sexta, quando irá para Brasília, cumprir a pena a que foi condenado na Ação Penal 470
Agentes da Polícia Federal já estão na Itália para acompanhar o retorno do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato; expectativa é que ele seja extraditado na quinta-feira e desembarque no Brasil na sexta, quando irá para Brasília, cumprir a pena a que foi condenado na Ação Penal 470 (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Agentes da Polícia Federal já estão na Itália para acompanhar o retorno do ex-diretor de marketing do Banco do Brasil Henrique Pizzolato para o Brasil. A expectativa do governo brasileiro é que Pizzolato seja extraditado nesta quinta-feira (23). Caso isso ocorra, ele deverá desembarcar em São Paulo no dia seguinte e em seguida seguirá para Brasília em um avião da Polícia Federal.

Ao desembarcar na capital federal, Pizzolato deverá ser encaminhado para fazer exame de corpo de delito e só então seguirá para a Penitenciária da Papuda, onde cumprirá apena de 12,7 anos a que foi condenado na Ação Penal 470, o chamado escândalo do mensalão.

Nesta quinta-feira expira o prazo de 15 dias determinado pelo ministro da Justiça italiana, Andrea Orlando, para a liberação de Pizzolato. Incialmente, a extradição estava marcada para o dia 6, quando a Corte Europeia de Direitos Humanos rejeitou um recurso impetrado pela defesa do ex-diretor do Banco do Brasil.

O adiamento aconteceu em razão da pressão de parlamentares italianos que queriam explicações acerca de uma declaração feita por Orlando de que a extradição do brasileiro era inevitável.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email