Planalto avalia que operação da PF é indicativo de 3ª denúncia contra Temer

Para interlocutores de Michel Temer, a Operação Skala – deflagrada nesta quinta-feira (29) pela Polícia Federal e que resultou na prisão de aliados e pessoas próximas a Michel Temer no âmbito do inquérito que apura o pagamento de propinas por meio de uma Medida Provisória do setor portuário – é, "sem dúvida", um indicativo de que a PGR prepara a terceira denúncia contra o emedebista, o que inviabilizaria o seu projeto de disputar a reeleição no pleito de outubro

Presidente Michel Temer durante cerimônia, em Brasília 27/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer durante cerimônia, em Brasília 27/03/2018 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Paulo Emílio)

247 - Para interlocutores de Michel Temer, a Operação Skala – deflagrada nesta quinta-feira (29) pela Polícia Federal e que resultou na prisão de aliados e pessoas próximas a Michel Temer no âmbito do inquérito que apura o pagamento de propinas por meio de uma Medida Provisória do setor portuário – deve resultar na terceira denúncia contra o emedebista, o que inviabilizaria o seu projeto de reeleição.

Segundo o jornal o Estado de São Paulo, pessoas ligadas a Temer já teriam dito que a operação é, "sem dúvida", uma espécie de indicativo que a Procuradoria-Geral da República prepara uma possível nova denúncia contra o emedebista. Caso os temores sejam concretizados, Temer abortaria o seu projeto de disputar a reeleição e, a exemplo do que fez nas denúncias anteriores, se dedicaria a barrar o avanço das investigações no Congresso Nacional.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247