Planilha cita entrega de R$ 3,5 mi da Odebrecht a taxista de confiança de operador

O taxista de confiança do publicitário André Augusto Vieira, acusado de ser operador do ex-presidente da Petrobrás Aldemir Bendine, aparece na planilha da transportadora de valores usada pela Odebrecht como destinatário de supostos pagamentos de R$ 3,5 milhões da empreiteira não revelados ao Judiciário. Marcelo Marques Casimiro foi apontado como portador da propina de R$ 3 milhões que resultou na condenação do ex-dirigente da estatal a 11 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro

Planilha cita entrega de R$ 3,5 mi da Odebrecht a taxista de confiança de operador
Planilha cita entrega de R$ 3,5 mi da Odebrecht a taxista de confiança de operador (Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O taxista de confiança do publicitário André Augusto Vieira, acusado de ser operador do ex-presidente da Petrobrás Aldemir Bendine, aparece na planilha da transportadora de valores usada pela Odebrecht como destinatário de supostos pagamentos de R$ 3,5 milhões da empreiteira não revelados ao Judiciário. Marcelo Marques Casimiro foi apontado como portador da propina de R$ 3 milhões que resultou na condenação do ex-dirigente da estatal a 11 anos de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro em março do ano passado. Bendine foi solto no dia 9 deste mês por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Na ação condenatória, Vieira confessou ter pedido para Casimiro ir até o flat alugado por seu irmão no bairro do Paraíso, zona sul de São Paulo, receber três pagamentos de R$ 1 milhão feitos pela Odebrecht. As entregas foram feitas nos dias 17 e 24 de junho e 1.º de julho de 2015 com as senhas "oceano", "rio" e "lagoa", no apartamento 43 do prédio na Rua Sampaio Viana. As informações foram publicadas pelo Blog do Fausto Macedo

Na planilha apreendida com a secretária do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o "departamento da propina", os três pagamentos de R$ 1 milhão estão vinculados ao codinome "Cobra", atribuído a Bendine pelos delatores da empreiteira.

Uma planilha da transportadora de valores usada pela Odebrecht aponta que, meses antes, outros sete pagamentos de R$ 500 mil foram feitos para Casimiro no mesmo endereço. Segundo o documento, as entregas ocorreram em outubro de 2014 e março e abril de 2015, com senhas diferentes, como "corsa", "monza" e "omega".

O publicitário André Gustavo Vieira negou ter recebido dinheiro da Odebrecht além dos R$ 3 milhões que já admitiu durante a ação penal na qual também foi condenado pela 13.ª Vara Federal de Curitiba, em março do ano passado. "Eu recebi aquele valor que admiti em minha delação, com as senhas oceano, lagoa e rio. Não sou citado por Marcelo (Odebrecht) em nenhum outro trecho de sua delação", disse Vieira, que fechou acordo de delação com o Ministério Público Federal (MPF) no processo envolvendo Bendine.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247