Pode vomitar: PGR arquiva ação contra Serra

No mesmo dia da condenação de Lula sem provas, a procuradoria-geral da República pediu o arquivamento de uma das ações da JBS em que o senador José Serra (PSDB-SP), um dos articuladores do golpe, é citado; Serra foi o responsável pelo projeto de entrega do pré-sal e foi acusado de receber R$ 52,4 milhões em propinas, dos quais R$ 23 milhões na Suíça; a denúncia foi feita pelo delator Pedro Novis, ex-presidente da Odebrecht; para a PGR, o caso Serra prescreveu; a questão é: a lei é igual para todos?

serra propina suíça
serra propina suíça (Foto: Gisele Federicce)

247 - No mesmo dia da condenação do ex-presidente Lula sem provas pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), a Procuradoria Geral da República pediu o arquivamento de uma das ações da JBS em que o senador José Serra (PSDB-SP), um dos articuladores do golpe, é citado.

Serra foi o responsável pelo projeto de entrega do pré-sal a petroleiras estrangerias e foi acusado pelo ex-presidente da Odebrecht Pedro Novis de receber R$ 52,4 milhões em propinas, dos quais R$ 23 milhões em conta secreta na Suíça. Para a PGR, o caso Serra prescreveu.

O inquérito que investigava Serra e foi arquivado apurava suposto caixa 2, pago pela JBS, nas eleições de 2010. Com base nas delações de Joesley Batista e outros executivos da J&F, a investigação tentava saber se Serra deixou de declarar à Justiça Eleitoral parte das doações recebidas para abastecer a campanha à presidência.

Durante seu voto no TRF4, o desembargador Victor Laus destacou que Lula "não está acima do bem e do mal" e ainda que "a lei é para todos". Será?

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247