Polícia Federal iria cortar água e luz, caso Lula não se apresentasse

A Polícia Federal tinha um plano B para o caso de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não se entregar, naquele dia 7 de abril: a ordem era cercar o prédio com a ajuda da Polícia Militar e esvaziar todas as ruas próximas; depois seria cortado o fornecimento de luz e água

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acena para apoiadores durante protesto da janela do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo 6/4/2018 REUTERS/Leonardo Benassatto
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acena para apoiadores durante protesto da janela do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo 6/4/2018 REUTERS/Leonardo Benassatto (Foto: Gustavo Conde)

247 – A Polícia Federal tinha um plano B para o caso de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não se entregar, naquele dia 7 de abril: a ordem era cercar o prédio com a ajuda da Polícia Militar e esvaziar todas as ruas próximas. Depois seria cortado o fornecimento de luz e água.

“A Polícia Federal também recebeu a informação que, no fim da tarde, havia mais militantes dentro do prédio do sindicato do que do lado de fora. Com isso, a determinação era não entrar no local para prender Lula.

Para integrantes da PF, a ação de militantes para barrar a saída de Lula do local no fim da tarde daquele sábado foi uma manobra para retardar a prisão”.

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247