Por falta de provas, MP arquiva inquérito contra Haddad e Vaccari no âmbito da Lava Jato

Ministério Público arquivou o inquérito contra o ex-prefeito Fernando Haddad e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto baseado na delação premiada de Leo Pinheiro, ex-presidente da OAS

www.brasil247.com - Fernando Haddad e João Vaccari Neto
Fernando Haddad e João Vaccari Neto (Foto: Reprodução/Facebook | Agência Brasil)


247 - O Ministério Público arquivou por falta de provas um inquérito aberto no âmbito da Operação Lava Jato contra o ex-prefeito Fernando Haddad e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto. Eles eram investigados por um suposto pedido de propina da ordem de R$ 5 milhões, que teria sido feito em 2013, para quitar dívidas de campanha eleitoral. A investigação foi aberta com base na delação premiada do ex-diretor da empreiteira OAS Leo Pinheiro. 

De acordo com o MP  ,“a despeito das diversas diligências investigativas realizadas para esse fim”, nada foi encontrado. Ainda segundo o promotor  Paulo Rogério Costa, também “não é possível atribuir a Fernando Haddad a solicitação direta ou indireta e ainda o percebimento de vantagem indevida da empreiteira OAS, em razão de sua função, que à época era de prefeito municipal de São Paulo, mediante a contraprestação de ser prolongado um contrato administrativo com a empreiteira”.

Leia íntegra da nota da defesa de João Vaccari Neto sobre o assunto.

NOTA PÚBLICA

A defesa do Sr. João Vaccari Neto, vem à público informar que o Ministério Público apresentou sua promoção de arquivamento do Inquérito Policial, no âmbito da Lava Jato, o qual investigava o Sr. Vaccari e o ex-prefeito Fernando Haddad, por suposta corrupção passiva envolvendo solicitação de propina de R$ 5 milhões à OAS, em 2013, para quitação de despesas de campanha eleitoral. 

A investigação foi aberta com base na Delação premiada Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, que afirmou, sem qualquer prova, que teria sido procurado pelo Sr. Vaccari, ex-tesoureiro do PT, no primeiro trimestre de 2013, e que este teria lhe pedido R$ 5 milhões para pagamento de dívidas de campanha do Haddad em troca de continuidade em contratos com a Prefeitura.

O Sr. Vaccari sempre negou esta afirmação do Léo Pinheiro, pois jamais fez qualquer solicitação de propina a ele ou a quem quer que seja. O próprio Ministério Público, após as investigações, chegou à conclusão de que os crimes atribuídos aos investigados nunca ocorreram e que após mais de 680 páginas de documentos colhidos, o suposto valor exigido pelo Sr. Vaccari não se comprovou, afirmando ainda, que as defesas apresentaram documentos que demonstraram a improcedência das acusações do delator.

A defesa do Sr. Vaccari, reiteradamente, tem sustentado a sua confiança na Justiça brasileira, que ao final, tem convicção, concluirá pela improcedência de todas as acusações infundadas, levianas e mentirosas que seu cliente sofreu.

São Paulo, 16 de dezembro de 2021

Prof. Dr. Luiz Flávio Borges D’Urso 

Advogado Criminalista

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

 

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247