Presidente da CUT pede pressão a deputados contra PL da terceirização

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores, foi à Câmara nesta terça-feira 21 para ajudar a pressionar deputados a rejeitarem o projeto da lei da terceirização, segundo ele uma "proposta nefasta contra o trabalhador"; Freitas pede aos cidadãos que "encham a caixa de emails do seu deputado" para pedir que o texto não seja aprovado; matéria pode ser colocada em votação nesta quarta; assista

Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores, foi à Câmara nesta terça-feira 21 para ajudar a pressionar deputados a rejeitarem o projeto da lei da terceirização, segundo ele uma "proposta nefasta contra o trabalhador"; Freitas pede aos cidadãos que "encham a caixa de emails do seu deputado" para pedir que o texto não seja aprovado; matéria pode ser colocada em votação nesta quarta; assista
Vagner Freitas, presidente da Central Única dos Trabalhadores, foi à Câmara nesta terça-feira 21 para ajudar a pressionar deputados a rejeitarem o projeto da lei da terceirização, segundo ele uma "proposta nefasta contra o trabalhador"; Freitas pede aos cidadãos que "encham a caixa de emails do seu deputado" para pedir que o texto não seja aprovado; matéria pode ser colocada em votação nesta quarta; assista (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O presidente da CUT, Vagner Freitas, foi à Câmara dos Deputados nesta terça-feira 21 para ajudar a pressionar os parlamentares a rejeitar o projeto da lei da terceirização, segundo ele uma "proposta nefasta contra o trabalhador".

Em vídeo, Freitas faz um apelo aos cidadãos para que "encham a caixa de emails do seu deputado" pedindo a eles que o texto não seja aprovado. A matéria pode ser colocada em votação nesta quarta.

Segundo ele, a CUT vai transformar o deputado que votar a favor do projeto em "traidor da classe trabalhadora". Vamos colocar em todas as redes sociais, outdoors, postes a carinha dele ou dela como traidor da classe trabalhadora", anunciou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247