Prevendo queda de Temer, MBL já articula volta aos protestos

Grupos que foram favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff, como o MBL (Movimento Brasil Livre), andaram bastante calados nos últimos meses, mesmo diante do agravamento das denúncias de corrupção contra Michel Temer e seus aliados; agora, com a perspectiva de intensificação ainda maior dos escândalos da Lava Jato quando o Judiciário voltar do recesso, essas mesmas organizações já planejam abandonar o barco do Planalto e voltar aos protestos

São Paulo - Manifestantes favoráveis ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff concentram-se na Avenida Paulista, região central da capital (Rovena Rosa/Agência Brasil)
São Paulo - Manifestantes favoráveis ao impeachment da presidenta Dilma Rousseff concentram-se na Avenida Paulista, região central da capital (Rovena Rosa/Agência Brasil) (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Grupos que foram favoráveis ao impeachment de Dilma Rousseff, como o MBL (Movimento Brasil Livre), andaram bastante calados nos últimos meses, mesmo diante do agravamento das denúncias de corrupção contra Michel Temer e seus aliados. Agora, com a perspectiva de intensificação ainda maior dos escândalos da Lava Jato quando o Judiciário voltar do recesso, essas mesmas organizações já planejam abandonar o barco do Planalto e voltar aos protestos.

As informações são da coluna Painel da Folha de S.Paulo 

Confira a nota:

"Já os grupos que atuaram ativamente pelo impeachment de Dilma Rousseff estão céticos quanto à capacidade de sobrevivência do peemedebista. Preveem estrago grande da Lava Jato quando o Judiciário voltar à ativa em fevereiro.

Organizações como o MBL (Movimento Brasil Livre) devem engrossar os protestos de rua caso as acusações firam ainda mais a cúpula do Palácio do Planalto."

Ao vivo na TV 247 Youtube 247