Previdência caminha para incluir militares

Um número cada vez maior de membros do governo Jair Bolsonaro oriundos das Forças Armadas tem expressado concordância com a inclusão de militares na Reforma da Previdência; presidente interino Hamilton Mourão já manifestou apoio ao aumento do tempo de serviço para militares passarem da ativa para a reserva

Previdência caminha para incluir militares
Previdência caminha para incluir militares (Foto: Antonio Cruz - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um número cada vez maior de membros do governo Jair Bolsonaro oriundos das Forças Armadas tem expressado concordância com a inclusão de militares na Reforma da Previdência. A informação é do jornal Folha de S.Paulo.

O general e presidente interino Hamilton Mourão já manifestou apoio ao aumento do tempo de serviço para militares passarem da ativa para a reserva - de 30 para 35 anos. Também defendeu também o recolhimento da contribuição de 11% sobre a pensão recebida por viúvas de militares.

Militares argumentam não haver previsão de uma Previdência para a categoria na Constituição, mas um regime de proteção social. Eles dizem, ainda, que não recebem Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), hora extra e, mesmo passando para a reserva, ficam à disposição de um eventual convocação. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247