'Priorizar impeachment é colocar fogo no país'

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alfineta o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, ao dizer que a discussão sobre um eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff não é prioridade do Congresso Nacional e que priorizar este assunto é o mesmo que colocar fogo no País; declarações foram feitas nesta segunda-feira 10 após reunião em sua residência oficial com os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento); Cunha tem trabalhado para limpar a pauta na Câmara a fim de aprovar as contas de 2014 do governo Dilma, enquanto o PSDB de Aécio prega novas eleições antes de 2018

Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alfineta o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, ao dizer que a discussão sobre um eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff não é prioridade do Congresso Nacional e que priorizar este assunto é o mesmo que colocar fogo no País; declarações foram feitas nesta segunda-feira 10 após reunião em sua residência oficial com os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento); Cunha tem trabalhado para limpar a pauta na Câmara a fim de aprovar as contas de 2014 do governo Dilma, enquanto o PSDB de Aécio prega novas eleições antes de 2018
Presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), alfineta o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o senador Aécio Neves, presidente do PSDB, ao dizer que a discussão sobre um eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff não é prioridade do Congresso Nacional e que priorizar este assunto é o mesmo que colocar fogo no País; declarações foram feitas nesta segunda-feira 10 após reunião em sua residência oficial com os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento); Cunha tem trabalhado para limpar a pauta na Câmara a fim de aprovar as contas de 2014 do governo Dilma, enquanto o PSDB de Aécio prega novas eleições antes de 2018 (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com Reuters - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse nesta segunda-feira que a discussão sobre um eventual processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff não é prioridade do Congresso Nacional e que priorizar este assunto é o mesmo que colocar fogo no país.

Após reunião em sua residência oficial com os ministros Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento), Renan voltou a criticar o alto número de ministérios e disse que o Senado votará nesta semana o projeto de lei que reverte a política de desoneração da folha de pagamento, que passará a trancar a pauta da Casa na terça-feira.

As declarações de Renan podem ser vistas como alfinetadas para o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e para o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PSDB. Cunha tem trabalhado para 'limpar' a pauta da Casa e poder votar as contas de 2014 da presidente, enquanto o partido e Aécio defende novas eleições presidenciais antes de 2018.

Rumores que circularam na semana passada davam conta de que Cunha fechou um pacto com os tucanos e outros líderes da oposição, como do DEM e do Solidariedade, em prol do impeachment. O combinado seria que o presidente da Câmara rechaçaria um pedido de impeachment e os tucanos apresentassem um recurso, levando o pedido a votação em plenário. Cunha negou qualquer acordo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email