Procurador irá investigar retirada de portal com dados do coronavírus no Brasil

“Isso é grave, ilícito e inaceitável. O MS [Ministério da Saúde] não pode sonegar informações do povo, pesquisadores, gestores e profissionais", disse o procurador regional da República Wellington Saraiva. O site que contém informações sobre a pandemia no Brasil está fora do ar desde sexta-feira

Wellington Saraiva
Wellington Saraiva (Foto: MPF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador regional da República Wellington Saraiva disse no Twitter que irá investigar a razão pela qual o portal do Ministério da Saúde na internet que apresenta os números do avanço da Covid-19 no Brasil está fora do ar.

O site não funciona desde a sexta-feira, quando Bolsonaro anunciou mudanças nas formas como os boletins de atualização dos dados do coronavírus seriam apresentados.

“Isso é grave, ilícito e inaceitável. O MS não pode sonegar informações do povo, pesquisadores, gestores e profissionais. Pedirei investigação. “Somente se pode admitir a saída do portal se tiver sido por manutenção, ataque ou problema técnico. Se saiu por decisão de alguém, isso fere a Lei de Acesso a Informação #LAI, no mínimo. É preciso apurar as responsabilidades", escreveu Wellington Saraiva.

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247