Procurador Januário Paludo disse que roupa da mulher de Lula era “brega” e o sítio, “deprimente”

Em um diálogo com outros procuradores no dia da condução coercitiva do ex-presidente Lula, Paludo debochou do sítio de Atibaia: “decoração horrorosa”

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O procurador da Lava Jato Januário Paludo escreveu, no dia da condução coercitiva do ex-presidente Lula, que o sítio de Atibaia, alvo de um dos processos contra o petista, era “sem dúvida” de Lula “porque a roupa de mulher era muito brega. Decoração horrorosa. Muitos tipos de aguardente. Vinhos de boa qualidade, mas mal conservados”. 

“Achei o sítio deprimente. Local para pouso de helicóptero confirmado à esquerda da entrada em campo de futebol, para helicóptero pequeno”, completou.

No dia seguinte à operação, o procurador disse ainda em um grupo do Telegram: “Não me deixaram ficar na adega com medo que eu pegasse um Brunello, botasse um chapéu do MST no patinho e saísse pedalando!!!”.

Os integrantes da força-tarefa, que foi destituída hoje e não existe mais no Paraná, após ser integrada ao Gaeco, receberam elogios da então procuradora-geral da República, Raquel Dodge.

Paludo foi acusado pelo hacker Walter Delgatti de ter recebido propina de Renato Duque, ex-diretor da Petrobrás e um dos investigados da Lava Jato.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email