Procurador quer fim de sigilo da Operação Zelotes

O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Frederico Paiva, deverá pedir ao juiz da 10ª Vara Federal, Ricardo Leite, para extinguir o sigilo sobre os resultados da investigação da Operação Zelotes, que apura fraudes em processos sob análise do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf); esquema, que envolvia bancos, empresas e conselheiros do Carf pode ter causado prejuízos de R$ 19 bilhões aos cofres públicos

O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Frederico Paiva, deverá pedir ao juiz da 10ª Vara Federal, Ricardo Leite, para extinguir o sigilo sobre os resultados da investigação da Operação Zelotes, que apura fraudes em processos sob análise do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf); esquema, que envolvia bancos, empresas e conselheiros do Carf pode ter causado prejuízos de R$ 19 bilhões aos cofres públicos
O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Frederico Paiva, deverá pedir ao juiz da 10ª Vara Federal, Ricardo Leite, para extinguir o sigilo sobre os resultados da investigação da Operação Zelotes, que apura fraudes em processos sob análise do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf); esquema, que envolvia bancos, empresas e conselheiros do Carf pode ter causado prejuízos de R$ 19 bilhões aos cofres públicos (Foto: Paulo Emílio)

O procurador do Ministério Público Federal (MPF) Frederico Paiva, deverá pedir ao juiz da 10ª Vara Federal, Ricardo Leite, para rever a decisão que colocou em sigilo a investigação desencadeada pela Operação Zelotes, que apura fraudes em processos sob análise do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf). O esquema, que envolvia bancos, empresas e conselheiros do Carf pode ter causado prejuízos de R$ 19 bilhões aos cofres públicos.

Segundo Paiva, está havendo o vazamento seletivo de informações, sendo que a sociedade te o direito de ter acesso a conteúdo completo das investigações da Operação Zelotes. “Alguns investigados já tiveram amplo acesso à investigação, é um direito deles. Vou pedir ao juiz que reconsidere a decisão que decreta o sigilo. Ela abre espaço para o vazamento seletivo. A transparência é sempre o melhor (critério), a sociedade tem o direito de saber o que está sendo feito com o seu dinheiro”, disse o procurador ao jornal o Globo.

Ele disse que a investigação da Operação Zelotes não está relacionada com a Operação Lava Jato. Na Zelotes, a Petrobras não é o foco das investigações.  “Vazamento seletivos me preocupam. Neste caso, a Petrobras sequer é foco, é incidental. Não dá para associar as duas operações. Não tem nada a ver uma com a outra”, observou. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247