Programador preso pela PF suspeito de hackear celulares tem conta milionária

Investigadores da Polícia Federal afirmaram que a conta estaria em nome de um laranja e foi descoberta antes da prisão do programador na 2ª fase da operação Spoofing, que apura o hackeamento de celulares de autoridadedes. Os policiais dizem ainda que ele atuava em fraudes em multas de trânsito

Lava Jato diz agora que hacker fabricou diálogos com perfis de autoridades
Lava Jato diz agora que hacker fabricou diálogos com perfis de autoridades
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal teria encontrado uma cifra milionária em uma conta vinculada ao programador de computadores Thiago Eliezer Martins. Ele foi preso na 2ª fase da operação Spoofing, que apura o hackeamento de celulares de diversas autoridadedes. 

Segundo a jornalista Bella Megale, do O Globo, fontes da PF afirmaram que a conta estaria em nome de um laranja e foi descoberta antes da prisão do programador. Os policiais dizem que ele atuava com fraudes em multas de trânsito.

Sobre a sua relação com Walter Delgatti, suposto hacker dos celulares, a PF suspeita que Thiago tenha atuado como uma espécie de professor do hacker, o que não configura crime.

Apesar da prisão, a PF ainda apura se Thiago tem ligação direta com as invasões realizadas por Delgatti ou se o programador apenas orientou Delgatti.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247