Projeto de Bolsonaro que facilita posse de armas é rejeitado por 70% dos brasileiros

Projeto do presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza o porte de armas de fogo pela população é rejeitado por 70% dos brasileiros, conforme pesquisa realizada pelo Datafolha; segundo o levantamento, a rejeição ao porte é maior entre as mulheres, chegando a 78%; exceção, contudo, fica entre os apoiadores do PSL, partido de Bolsonaro

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O projeto do presidente Jair Bolsonaro que flexibiliza o porte de armas de fogo pela população é rejeitado por 70% dos brasileiros, conforme pesquisa do Datafolha realizada entre os dias 4 e 5 de julho. Segundo o levantamento, a rejeição ao porte é maior entre as mulheres, chegando a 78%, pretos (74%), pardos (72%) e indígenas (82%). 

A rejeição à medida também é alta entre a parcela mais pobre da população, chegando a 75% entre os que possuem renda familiar mensal de até dois salários mínimos e 70% entre o grupo que ganha até dez salários mínimos mensais. 

Segundo a pesquisa, publicada pelo jornal Folha de S. Paulo,  a exceção fica entre os apoiadores do PSL, partido de Bolsonaro, onde 72% dizem apoiar a flexibilização do porte de armas de fogo, além dos empresários (55%) e dos que avaliam o governo Jair Bolsonaro como bom ou ótimo (52%). A pesquisa do Datafolha ressalta, ainda, que a Região Sul concentra o maior número de pessoas favoráveis ao porte de armas (38%). Já o Nordeste é Região onde o projeto encontra menos apoio (23%). 

Ainda conforme o Datafolha, a rejeição à posse de armas de fogo variou de 64% a 66% desde abril, alcançando o maior patamar numérico no período de seis anos. O percentual dos que afirmaram que a posse de armas para autodefesa “deverão ser um direito do cidadão” passou de 34% para 31% entre abril e julho deste ano. 

O Datafolha ouviu 2.086 em 130 cidades brasileiras. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email