Protesto e confusão marcam visita de Cunha à Paraíba

Manifestantes que grivatam "fora, Cunha" entraram em confronto com seguranças da Assembleia Legislativa da Paraíba; eles promoveram um apitaço e jogaram ovos quando o presidente da Câmara entrou no local; protesto acabou desbancando para a violência quando os seguranças tentaram impedir o acesso dos manifestantes às galerias da Casa; Eduardo Cunha, que já foi alvo de protestos no Rio Grande do Sul e em São Paulo durante a passagem do seu projeto 'Câmara itinerante', atribuiu a responsabilidade da confusão ao PT

Manifestantes que grivatam "fora, Cunha" entraram em confronto com seguranças da Assembleia Legislativa da Paraíba; eles promoveram um apitaço e jogaram ovos quando o presidente da Câmara entrou no local; protesto acabou desbancando para a violência quando os seguranças tentaram impedir o acesso dos manifestantes às galerias da Casa; Eduardo Cunha, que já foi alvo de protestos no Rio Grande do Sul e em São Paulo durante a passagem do seu projeto 'Câmara itinerante', atribuiu a responsabilidade da confusão ao PT
Manifestantes que grivatam "fora, Cunha" entraram em confronto com seguranças da Assembleia Legislativa da Paraíba; eles promoveram um apitaço e jogaram ovos quando o presidente da Câmara entrou no local; protesto acabou desbancando para a violência quando os seguranças tentaram impedir o acesso dos manifestantes às galerias da Casa; Eduardo Cunha, que já foi alvo de protestos no Rio Grande do Sul e em São Paulo durante a passagem do seu projeto 'Câmara itinerante', atribuiu a responsabilidade da confusão ao PT (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A passagem do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pela Paraíba na manhã desta sexta-feira acabou em tumulto quando manifestantes contrários ao peemedebista entraram em confronto com seguranças da Assembleia Legislativa da Paraíba. A confusão aconteceu quando integrantes de movimento sociais e sindicalistas invadiram a sede do legislativo estadual e vaiaram os políticos presentes, além de promoveram um apitaço no local. O protesto acabou desbancando para a violência quando os seguranças tentaram impedir o acesso dos manifestantes às galerias da Casa.

Cunha atribuiu a responsabilidade da confusão ao PT. "Lamentável as agressões promovidas pelo PT na Paraíba", postou Cunha em sua conta pessoal no Twitter. Ele também postou que um integrante da juventude do PMDB teria sido "covardemente" agredido" "por militantes do PT. "Minha solidariedade ao jovem do PMDB", disse. Por conta doi tumulto, ele não discursou e acabou antecipando sua saída do local. Durante a manifestação foram exibidos cartazes pedindo a saída do parlamentar.

Os manifestantes também protestaram contra o preconceito aos homossexuais, além de pedirem o veto da presidente Dilma Rousseff ao projeto de lei que regulamenta a terceirização do trabalho no Brasil.

Ao deixar o prédio da Assembleia, Cunha declarou que a manifestação contra ele teria sido articulada pelos deputados estaduais Anísio Maia (PT) e Estelizabel Bezerra (PSB). Ele também acusou o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), aliado da presidente Dilma, de não ter garantido o reforço policial solicitado anterioprmente.

"Acho muito estranho que o governador não tenha garantido a segurança de um evento político em uma outra casa, demonstrando que aqui [na Paraíba] não se respeita a independência dos poderes. É lamentável que o governador tenha se furtado de garantir o patrimônio público, é uma omissão e o governador é o responsável", disparou.

A deputada Estelizabel Bezerra qualificou a acusão de Cunha como "irresponsável" e afirmou que irá processar o presidente da Câmara

Nas últimas semanas, o presidente da Câmara foi alvo de diversos protestos em várias cidades do País, com destaque para os estados de São Pualo e Rio Grande do Sul.  

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247