Próximo capítulo da Lava Jato tem delações e anistia

Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, "a novela está longe do fim"; "Pelo menos dois fatos decisivos estão prestes a acontecer: 1. A revelação de novas delações, como as dos dirigentes da Odebrecht e, possivelmente, de Leo Pinheiro, que está retomando conversas com os procuradores; 2. Deve tomar corpo e vir a público a articulação para aprovar projeto que, ao mesmo tempo, tipifica o crime de caixa 2 e anistia quem o cometeu antes da lei", prevê

Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, "a novela está longe do fim"; "Pelo menos dois fatos decisivos estão prestes a acontecer: 1. A revelação de novas delações, como as dos dirigentes da Odebrecht e, possivelmente, de Leo Pinheiro, que está retomando conversas com os procuradores; 2. Deve tomar corpo e vir a público a articulação para aprovar projeto que, ao mesmo tempo, tipifica o crime de caixa 2 e anistia quem o cometeu antes da lei", prevê
Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, "a novela está longe do fim"; "Pelo menos dois fatos decisivos estão prestes a acontecer: 1. A revelação de novas delações, como as dos dirigentes da Odebrecht e, possivelmente, de Leo Pinheiro, que está retomando conversas com os procuradores; 2. Deve tomar corpo e vir a público a articulação para aprovar projeto que, ao mesmo tempo, tipifica o crime de caixa 2 e anistia quem o cometeu antes da lei", prevê (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, prevê que, depois da cassação de Eduardo Cunha e da denúncia contra o ex-presidente Lula, "a novela está longe do fim" no que se refere à Lava Jato.

"Pelo menos dois fatos decisivos estão prestes a acontecer: 1. A revelação de novas delações, como as dos dirigentes da Odebrecht e, possivelmente, de Leo Pinheiro, que está retomando conversas com os procuradores; 2. Deve tomar corpo e vir a público a articulação para aprovar projeto que, ao mesmo tempo, tipifica o crime de caixa 2 e anistia quem o cometeu antes da lei", escreve.

"Há, ainda, outras pontas soltas e fios desencapados prestes a provocar curtos-circuitos em breve, e o ex-deputado Eduardo Cunha – que continua dando entrevistas e atirando – é mais uma delas. Como se vê, não há paz à vista. O sistema político continua operando no modo insegurança", conclui.

Leia aqui a íntegra.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email