PSDB tenta cooptar integrantes do DEM após traição do partido a Maia

Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo e filiado ao DEM, se encontrou com João Doria e Geraldo Alckmin no Palácio dos Bandeirantes

Bruno Covas, João Doria e Rodrigo Garcia
Bruno Covas, João Doria e Rodrigo Garcia (Foto: GOVSP)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Após a traição do DEM ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia, que lançou Baleia Rossi (MDB) para a presidência da Casa, o PSDB está buscando cooptar integrantes do partido para sua própria legenda.

A aliança entre PSDB, DEM e MDB vinha sendo anunciada desde quando estes partidos racharam, no ano passado, com o setor do Centrão que lançou o atual presidente da Câmara, Arthur Lira (PP). 

O MDB foi lançado como vice na chapa de Bruno Covas (PSDB) para prefeito de São Paulo, e cogita-se que o DEM seja vice na chapa de João Doria em 2020, seja para reeleição ao Governo de São Paulo ou para a presidência.

No entanto, com a traição do DEM a Maia, pelo fato da maioria dos deputados ter escolhido apoiar Lira contra Baleia, o PSDB está buscando cooptar alguns integrantes da legenda para seu próprio partido.

Um dos nomes sondados pelos tucanos é o de Rodrigo Garcia, vice-governador de São Paulo e filiado ao DEM, segundo a CNN. Garcia se encontrou com João Doria e Geraldo Alckmin, presidente do PSDB em São Paulo, para um almoço nesta quarta-feira, 3, no Palácio dos Bandeirantes.

A reportagem informa que a conversa durou cerca de duas horas e nenhum dos envolvidos diretamente quis falar sobre o tema.

“Como Doria já disse que não tentará a reeleição para governador e deve sair para a presidência em 2022, Garcia vai assumir o posto de governador, e o PSDB quer que isso aconteça com o atual vice filiado ao partido”, destaca a CNN.

Enquanto isso, Maia já anunciou que deve deixar o DEM.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email