Psicose anti-ambiental começa a devastar litoral petrolífero brasileiro

Um colossal lixão está em formação no fundo do oceano brasileiro, turbinado por milhares de toneladas de cascalho embebido em óleo. São as perfurações em campos de petróleo feitas sem o devido tratamento ambiental, protocolo praticamente abandonado por um governo que criminaliza a preservação ambiental

(Des)Governo Temer pode vender petróleo do pré-sal abaixo do preço
(Des)Governo Temer pode vender petróleo do pré-sal abaixo do preço (Foto: WILTON JUNIOR)

247 - Um colossal lixão está em formação no fundo do oceano brasileiro, turbinado por milhares de toneladas de cascalho embebido em óleo. São as perfurações em campos de petróleo feitas sem o devido tratamento ambiental, protocolo praticamente abandonado por um governo que criminaliza a preservação ambiental. 

A reportagem do jornal O Estado de S. Paulo destaca que "o problema é grave porque pode envolver a liberação de substâncias contaminantes, como elementos cancerígenos."

A matéria acrescenta que "uma série de divergências de entendimento sobre o assunto, envolvendo o Ibama e a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), simplesmente deixaram o tema sem solução. O resultado é o descarte de sedimentos sem critério técnico e acompanhamento ambiental."

E ainda explica o procedimento: "os cascalhos sujos são retirados no momento em que as brocas das plataformas de petróleo perfuram o fundo do mar para chegar ao óleo. Nesta etapa, extraem toneladas de sedimentos misturados com o óleo. Em vez de sugar esse material até a superfície, para que seja tratado e depois liberado, as petroleiras simplesmente deixam no próprio local. Não se trata de pouca coisa. Por ano, são perfurados pelo menos 200 poços de petróleo no litoral brasileiro."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247