PSL já avalia fusão com outros partidos caso Bolsonaro deixe a legenda

PSL já negocia a união com outras legendas caso Jair Bolsonaro decida sair do partido. Cúpula da legenda já reconhece a possibilidade em função de uma eventual debandada dos parlamentares que gravitam em torno de Bolsonaro e que acompanhariam a saída do ex-capitão

247 - O PSL já deu início às negociações visando se fundir a outras legendas caso Jair Bolsonaro decida sair do partido. De acordo com a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, a cúpula do PSL, incluindo o presidente, Luciano Bivar (PE), já vem admitindo a possibilidade de uma união com outros partidos em função de uma eventual debandada dos parlamentares que gravitam em torno de Bolsonaro e que acompanhariam a saída do ex-capitão. 

Ainda de acordo  a reportagem, o desconforto de Bolsonaro com o PSL veio na esteira da revelação de que o esquema de candidaturas laranjas do PSL mineiro e que, segundo a Polícia Federal, seria liderado pelo ministro do Turismo, Marcelo Álvaro, teria financiado a sua campanha rumo ao Planalto nas últimas eleições. Nesta terça-feira (8), Bolsonaro sinalizou sua intenção de deixar o PSL ao afirmar que Bivar estava "queimado" e que o partido poderia "queimar o seu filme também. 

“Quem acompanha o divórcio entre Bolsonaro e o PSL diz que há uma junta de advogados trabalhando num plano para não deixar na chuva parlamentares que queiram abandonar o partido ao lado dele. O ex-ministro do TSE Admar Gonzaga integra esse grupo”, destaca o texto da reportagem. 

O líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), afirma que os parlamentares que deixarem a legenda correm risco de ficarem de fora das próximas eleições. “Não tem janela partidária, novas eleições vão vir. Vão disputar sem dinheiro? Vão deixar o partido que tem o maior fundo eleitoral? Bolsonaro pode não precisar, mas e eles? Esse negócio de ideologia não vai durar quatro anos”, ressalta. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247