PSL nega pedido de Bolsonaro e adverte: 'excessos contra o partido serão apurados'

No mesmo dia que a PF deflagrou operação contra o presidente nacional do PSL, Luciano Bivar, a executiva da legenda divulga nota que nega atender o pedido feito por advogados de Jair Bolsonaro para fazer uma auditoria externa e chama os ataques de "pueril tentativa de criar fatos artificiais que visam atender meros interesses pessoais”

(Foto: Reuters | ABr)

247 - Em resposta ao documento encaminhado por advogados de Jair Bolsonaro pedindo uma auditoria externa nas contas do partido, a Executiva Nacional do PSL afirma em nota que não vai responder ao pedido e ainda faz uma ameaça velada aos ataques bolsonaristas sobre as finanças do partido e a cúpula.

A nota afirma que alguns pronunciamentos “caracterizam pueril tentativa de criar fatos artificiais que visam atender meros interesses pessoais em detrimento do interesse coletivo do partido”, e adverte que "os excessos cometidos contra o partido serão devidamente apurados para adoção das medidas cabíveis".

A resposta aos pedidos de Bolsonaro acontece no mesmo dia que a Polícia Federal deflagrou operação que teve como alvo o presidente do PSL, o deputado federal Luciano Bivar (PE), e as investigações sobre candidaturas laranjas para uso de caixa 2.

A negativa da cúpula do PSL ao pedido "de transparência na prestação de contas", é porque o documento foi enviado por e-mail e sem assinaturas. A Executiva diz que só dará andamento ao pedido após receber o original e procuração para os advogados que forem representar os filiados.

"Em relação à minuta da notificação que teria sido endereçada ao partido, cumpre-nos informar que apenas recebemos uma cópia não assinada e desacompanhada de procurações, com o anúncio de que o original seria encaminhado oficialmente. Aguardaremos para responder aos termos, se e quando a notificação devidamente assinada e acompanhada dos documentos pertinentes for recebida", diz a nota.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247