PSL usa costume medieval para justificar indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada do Brasil em Washington

Presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), invocou costumes medievais para justificar a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, à embaixada do Brasil em Washington. “A relação de embaixador é uma relação muito de confiança e apreço. Passando isso para a Idade Média, geralmente os reis entregavam suas filhas, seus filhos”, afirmou

247 - O presidente nacional do PSL, Luciano Bivar (PE), invocou costumes medievais para justificar a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, à embaixada do Brasil em Washington.  “A relação de embaixador é uma relação muito de confiança e apreço. Passando isso para a Idade Média, geralmente os reis entregavam suas filhas, seus filhos”, afirmou Bivar nesta terça-feira (13).

Bivar utilizou como exemplo o casamento entre a filha do rei da Espanha, Catarina de Aragão, e Henrique VIII, rei da Inglaterra. Catarina exerceu o cargo de embaixatriz da Espamha na Inglaterra antes do casamento. “Catarina de Aragão era filha do rei Filipe, foi casada com Henrique VIII para fazer uma aproximação entre Espanha e Inglaterra. Isso faz parte, é um contexto” disse Bivar. 

“ Antropologicamente nós somos os mesmos, do mundo da pedra até hoje, então essa sinalização do Brasil em relação aos Estados Unidos é uma relação de muita proximidade”, emendou. 

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247