Queiroga ataca Doria após vacinação de criança: “fazendo palanque”

"Acha que vai sair dos 3%. Desista!", escreveu o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, nas redes sociais, em ataque ao governador de SP

www.brasil247.com -
(Foto: ABr | GOVSP)
Siga o Brasil 247 no Google News

Metrópoles - Após o estado de São Paulo aplicar a primeira dose pediátrica de vacina contra a Covid-19, na tarde desta sexta-feira (14/1), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, acusou o governador João Doria (PSDB) de “fazer palanque”.

No Twitter, Queiroga afirmou que Doria “subestima a população”. “Está com as vacinas do governo federal e do povo brasileiro em mãos fazendo palanque. Acha que isso vai tirá-lo dos 3%. Desista!”, escreveu o ministro. “Seu marketing não vai mudar a face da sua gestão. Os paulistas merecem alguém melhor”, continuou o cardiologista.

Continue lendo no Metrópoles

PUBLICIDADE

Leia também matéria da Reuters sobre o assunto:

SÃO PAULO (Reuters) - As primeiras crianças na faixa de 5 a 11 anos a receberem a vacina pediátrica da Pfizer contra Covid-19 no Brasil foram imunizadas no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, na capital paulista, nesta sexta-feira.

PUBLICIDADE

Uma criança indígena de 8 anos com comorbidades foi a primeira a receber a vacina.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que tem feito da vacinação contra a Covid-19 sua principal bandeira política em sua pré-candidatura à Presidência na eleição deste ano, acompanhou a vacinação das primeiras crianças, conversando com as mães e com as próprias crianças, enquanto elas eram vacinadas.

A primeira criança a receber a imunização no país foi o indígena de 8 anos de idade Davi Seremramiwe, da etnia Xavante, que está em tratamento de uma deficiência motora no Hospital das

PUBLICIDADE

O início da vacinação das crianças acontece quase um ano depois de a primeira pessoa receber uma vacina contra Covid-19 no Brasil também no HC da USP, a enfermeira Mônica Calazans, vacinada com a CoronaVac, vacina do laboratório chinês Sinovac envasada no Brasil pelo Instituto Butantan, vinculado ao governo paulista. Naquela ocasião, Doria também acompanhou o início da vacinação.

A imunização de crianças entre 5 e 11 anos no Brasil começa quase um mês depois de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar a vacina pediátrica da Pfizer para esta faixa etária.

Após a aprovação da agência, o Ministério da Saúde decidiu fazer uma consulta pública sobre a vacinação de crianças contra a Covid, o que é incomum pois legalmente cabe à Anvisa atestar a eficácia e segurança dos imunizantes. O ministro Marcelo Queiroga chegou a dizer que não havia urgência em vacinar as crianças.

PUBLICIDADE

O presidente Jair Bolsonaro é contra a vacinação de crianças contra a Covid e, sem embasamento científico, coloca em dúvida a segurança da vacina. Ele afirmou que a imunização das crianças não se justifica, embora mais de 300 crianças nesta faixa etária tenham morrido de Covid-19 no Brasil.

O início da vacinação das crianças também ocorre em um momento em que a variante Ômicron do coronavírus, que é muito mais transmissível que outras cepas, provoca uma disparada no número de casos de Covid, o que tem levado especialistas a alertarem sobre a possibilidade de um colapso dos sistemas de saúde no Brasil.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email