'Quero te ver livre, guerreiro', diz Wyllys em carta endereçada a Lula

Ex-deputado federal Jean Wyllys, que renunciou ao seu terceiro mandato e se refugiou na Europa em função de ameaças de morte feitas por grupos ligados à extrema direita no Brasil, escreveu uma carta aberta a Lula na véspera da data que marca sua prisão sem provas; "Escrevo-lhe esta carta, meu velho, porque amanhã essa sua prisão injusta faz aniversário. Há um ano você é um preso político" Beijo suas mãos e lhe digo, meu querido, meu velho, meu amigo: tudo isso é pouco diante do que sinto". Eu quero é te ver livre, guerreiro", finaliza o texto

'Quero te ver livre, guerreiro', diz Wyllys em carta endereçada a Lula
'Quero te ver livre, guerreiro', diz Wyllys em carta endereçada a Lula

247 - O ex-deputado federal Jean Wyllys, que renunciou ao seu terceiro mandato e se refugiou na Europa em função de ameaças de morte feitas por grupos ligados à extrema direita no Brasil, escreveu uma carta aberta a Luiz Inácio Lula da Silva na véspera da data que marca a prisão sem provas do ex-presidente. "Escrevo-lhe esta carta, meu velho, porque amanhã essa sua prisão injusta faz aniversário. Há um ano você é um preso político", diz Wyllys no texto.

"Para qualquer pessoa de bom senso, no Brasil e no mundo (e eu tenho corrido o mundo, meu querido), não faz qualquer sentido você estar preso – sem provas e por sentenças escancaradamente fraudulentas, até mesmo mal escritas e com trechos copiados de outras, dadas por juízes e juízas que agem como políticos vingativos, desonestos intelectualmente e ressentidos – enquanto notórios corruptos do mundo empresarial, do mercado financeiro, dos meios de comunicação e de partidos como MDB, DEM, PP, PSL (ratos menores, mas não menos perigosos) e PSDB gozam de liberdade e dos frutos da pilhagem; e enquanto um sujeito burro, comprovadamente odioso em relação às minorias sexuais e étnicas e com ligações suspeitíssimas com organizações criminosas paramilitares que praticam execuções extrajudiciais em troca de dinheiro desgoverna o país, revelando ao mundo o que há de pior no caráter nacional", observa o ex-pralamentar.

"Hoje estamos sabendo, não tinha apenas o propósito de criminalizar o PT e as esquerdas em favor da extrema direita fundamentalista cristã e miliciana, mas sobretudo o de se apropriar privadamente de recursos públicos (bilhões de reais!), ou seja, o de assaltar os cofres públicos, mas com os requintes de uma organização mafiosa, tudo sob a narrativa mentirosa de "combate à corrupção" – devidamente sustentada e reproduzida por uma imprensa historicamente antipetista", ressalta.

"Em cada espaço que se abre para mim na Europa, nos EUA, no Canadá e em países da América Latina, eu tenho apontado para a nuvem de gafanhotos que paira sobre – e já devora – a nossa democracia ainda em broto; tenho denunciado sua prisão arbitrária e gritado "Lula livre!", colando adesivos em postes, e tenho tornado presente a memória de nossa saudosa Marielle Franco, exigindo que se descubra quem mandou matá-la. Muitos têm me acompanhado, Lula. Você não está só! E o propósito dessa carta é o de lhe dizer isso", afirma Wyllys em um trecho da carta.

"Seu sorriso franco me anima; seu conselho certo me ensina. Beijo suas mãos e lhe digo, meu querido, meu velho, meu amigo: tudo isso é pouco diante do que sinto". Eu quero é te ver livre, guerreiro", finaliza o texto.

Leia a íntegra da carta.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247