R$ 1,23 milhão do fundo eleitoral do PSL foi parar em minigráfica de filiado ao partido

A minigráfica Vidal, pertencente a um membro do diretório estadual do PSL em Pernambuco foi a empresa que mais recebeu verba pública do partido no estado durante as eleições de 2018; sete candidatos do PSL declararam ter gasto R$ 1,23 milhão dos fundos eleitoral e partidário na gráfica de Luis Alfredo Nunes da Silva, que se apresenta como presidente do PSL na pequena cidade de Amaraji, endereço da minigráfica que funciona em uma pequena sala, com duas máquinas e uma recepcionista; ministro Gustavo Bebianno foi responsável pelo repasse

R$ 1,23 milhão do fundo eleitoral do PSL foi parar em minigráfica de filiado ao partido
R$ 1,23 milhão do fundo eleitoral do PSL foi parar em minigráfica de filiado ao partido (Foto: Reprodução vídeo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A minigráfica Vidal, pertencente a um membro do diretório estadual do PSL em Pernambuco foi a empresa que mais recebeu verba pública do partido no estado durante as eleições de 2018. Sete candidatos do PSL declararam ter gasto R$ 1,23 milhão dos fundos eleitoral e partidário na gráfica de Luis Alfredo Nunes da Silva, que se apresenta como presidente do PSL na pequena cidade de Amaraji, endereço da minigráfica, que funciona em uma pequena sala, com duas máquinas e uma recepcionista.  

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo informa que "pelo menos 88% deste valor [R$ 1,23 milhão], a quase totalidade dos repasses de fundo partidário e fundo eleitoral, foram de responsabilidade oficial do presidente nacional do PSL à época, Gustavo Bebianno, então coordenador de campanha de Bolsonaro e hoje ministro da Secretaria-Geral da Presidência."

A matéria ainda destaca que "Vidal esteve com o já presidente eleito Jair Bolsonaro em sua casa, no Rio, em novembro. 'Fui só para tirar uma foto', diz ele, que foi o responsável pela coordenação da campanha do presidente na Mata Sul de Pernambuco (...) Fundador e principal cacique do PSL, o deputado federal Luciano Bivar (PE) também teve importante papel nessas decisões. À época presidente licenciado, ele está novamente no comando da sigla."

O jornal complementa: "desde que a Folha começou a publicar no último dia 4 reportagens mostrando que o PSL usou um esquema de direcionamento de verbas públicas a candidatas laranjas, Bivar e Bebianno têm dado declarações conflitantes, apontando um ao outro como responsável pelos repasses. Vidal é filiado ao PSL desde março de 2018, mesma época em que Bolsonaro e seus aliados entraram na legenda. 'Não vejo nenhum problema', disse o dono da gráfica sobre ter recebido mais de R$ 1 milhão de verba pública por meio de seu partido."

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email