‘Recursos existem para diminuir erros’, diz advogado que reverteu sentenças de Moro

O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso reverteu junto ao TRF-4 duas sentenças impostas ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pelo juiz Sérgio Moro; o advogado acrescenta que ‘os recursos existem para diminuir as possibilidades de erros’; "Não existe um ser humano infalível, seja ele quem for poderá errar. Assim, quando uma decisão é reformada para absolver um acusado, inegável que o juízo que o condenou, errou"

O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso reverteu junto ao TRF-4 duas sentenças impostas ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pelo juiz Sérgio Moro; o advogado acrescenta que ‘os recursos existem para diminuir as possibilidades de erros’; "Não existe um ser humano infalível, seja ele quem for poderá errar. Assim, quando uma decisão é reformada para absolver um acusado, inegável que o juízo que o condenou, errou"
O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso reverteu junto ao TRF-4 duas sentenças impostas ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pelo juiz Sérgio Moro; o advogado acrescenta que ‘os recursos existem para diminuir as possibilidades de erros’; "Não existe um ser humano infalível, seja ele quem for poderá errar. Assim, quando uma decisão é reformada para absolver um acusado, inegável que o juízo que o condenou, errou" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - O advogado Luiz Flávio Borges D'Urso reverteu junto ao Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) duas sentenças impostas ao ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto pelo juiz federal Sérgio Moro. Preso desde abril de 2015,  petista foi condenado em 1.ª instância em cinco ações penais a 45 anos e seis meses, por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro. 

"Não existe um ser humano infalível, seja ele quem for poderá errar. Assim, quando uma decisão é reformada para absolver um acusado, inegável que o juízo que o condenou, errou", afirma o defensor. "A premissa é de que nossa justiça é feita por homens e como o homem erra, por conseguinte, a justiça dos homens também erra". A entrevista foi concedida ao Estadão.

O advogado acrescenta que ‘os recursos existem para diminuir as possibilidades de erros’.

Questionado sobre que tese defendeu para rever duas sentenças de Vaccari, o defensor disse que "em ambos os casos, nesses dois processos nos quais o sr. Vaccari foi absolvido pelo TRF-4, as teses foram as mesmas, pois inexistiam provas que corroborassem a palavra do delator que acusou o Sr. Vaccari, pois ele é inocente".

"Apesar disso, ele foi condenado sem provas e no recurso sustentamos exatamente isto". 

O defensor disse que não pode opinar sobre o julgamento do ex-presidente Lula porque não conhece o processo envolvendo o tripléx no Guarujá.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247