Reforma da previdência terá regime diferenciado para policiais

Diferentemente do prometido e do alardeado, a reforma da previdência retoma o processo de fragmentação devido a pressões classistas e falta de legitimidade e articulação política de um governo sem presidente e sem agenda; a nova exceção agora são policiais federais e civis; a proposta prevê que esses profissionais tenham regras próprias para aposentadoria, com idade mínima e tempo de contribuição diferentes dos demais trabalhadores; ali, a idade mínima deverá ficar em 55 anos para homens e mulheres

Reforma da previdência terá regime diferenciado para policiais
Reforma da previdência terá regime diferenciado para policiais (Foto: REUTERS/Nacho Doce)

247 - Diferentemente do prometido e do alardeado, a reforma da previdência retoma o processo de fragmentação devido a pressões classistas e falta de legitimidade e articulação política de um governo sem presidente e sem agenda. A nova exceção agora são policiais federais e civis. A proposta prevê que esses profissionais tenham regras próprias para aposentadoria, com idade mínima e tempo de contribuição diferentes dos demais trabalhadores. Ali, a idade mínima deverá ficar em 55 anos para homens e mulheres.

A reportagem do jornal O Globo destaca que "o tempo de contribuição deve permanecer 30 anos (para o homem) e 25 anos (mulher). No entanto, haverá uma nova exigência: será preciso comprovar o exercício efetivo da função por 25 anos. Atualmente, a categoria pode se aposentar com 20 anos de atividade policial (homens) e 15 anos (mulher), sem exigência de idade mínima. Essas condições foram negociadas com a bancada da bala na tramitação da reforma do ex-presidente Michel Temer."

A matéria ainda informa que "o texto também deve dar um tratamento diferenciado aos trabalhadores rurais . Mas, diferentemente do governo anterior, eles também terão que dar a sua parcela de contribuição. Ou se eleva a idade mínima (hoje de 55 anos para mulheres e 60 anos para homens) ou esse grupo passará a contribuir para o sistema, ainda que seja com uma alíquota baixa. Atualmente, basta comprovar o serviço no campo por um período de 15 anos para ter acesso ao benefício."

E complementa: "já os policiais militares e bombeiros dos estados não terão idade mínima de aposentadoria porque serão equiparados aos integrantes das Forças Armadas. O governo já decidiu que o regime previdenciário dos militares também passará por ajustes, com mudanças nas alíquotas de contribuição e aumento do tempo na ativa de 30 anos para 35 anos."

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247