Reitora da UnB rebate Weintraub e denuncia perseguição às universidades

A Universidade de Brasília (UnB) "não é produtora de qualquer tipo de droga nem compactua com quaisquer tipos de ilícitos”, afirmou reitora Márcia Abrahão, rebatendo o ministro da Educação, Abraham Weintraub, que acusou as universidades de serem produtoras de "plantações extensivas de maconha"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A reitora e presidente do Conselho Universitário (Consuni), colegiado máximo da Universidade de Brasília (UnB), Márcia Abrahão, rebateu declarações do ministro da Educação, Abraham Weintraub, e disse que a instituição “não é produtora de qualquer tipo de droga nem compactua com quaisquer tipos de ilícitos”.

Weintraub afirmou, sem apresentar provas ou nomes, que existem plantações de maconha em universidades. "Você tem plantações extensivas de maconha em algumas universidades. A ponto de ter borrifador de agrotóxico”, disse o ministro em novembro.

Weintraub ainda usou as redes sociais para atacar a UnB e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), postando reportagens sobre o consumo de maconha e drogas sintéticas nas instituições.

“Isso realmente aconteceu. Mas imediatamente constituímos uma comissão interna, presidida por uma docente da Faculdade de Direito. A comissão trabalhou paralelamente ao trabalho da polícia. Durante as investigações, ficou comprovado que a área não pertence à Universidade de Brasília. Tudo isso está nos autos”, destacou.

“O processo foi extinto, e os três estudantes não foram condenados. Com base nisso, a comissão sugeriu o arquivamento do processo no âmbito interno. A nossa comunidade é bastante comprometida com a missão institucional e, quando há casos isolados como esse, tomamos as medidas cabíveis”, completou.

A reitora também falou sobre os ataques sistemáticos contra a universidade por parte do governo. “Nós, universidades federais, temos sido alvo de questionamento de uma parte da sociedade com relação à nossa importância. E isso começou mais fortemente no final de abril deste ano, quando o atual ministro da Educação fez o bloqueio orçamentário com argumentos de que estávamos fazendo balbúrdia”, enfatizou.

De acordo com a reitora, no dia 9 de dezembro deste ano, a UnB recebeu e-mail relatando que Weintraub teria se reunido naquele dia com o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Walton Alencar Rodrigues para pressioná-lo a não aprovar as contas de 2017 da instituição de ensino brasiliense.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247