Renan rompeu porque 90% dos alagoanos rejeitam Temer e o caos pós-golpe

Movimento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que, ontem, mais uma vez, explicitou seu rompimento com o golpe de 2016, é antes de tudo pragmático; político experiente, Calheiros tem pesquisa encomendada por seu filho, que governa o Estado, que mostra que 90% dos alagoanos rejeitam Michel Temer; como tanto Calheiros como o governador Renan Filho tentarão a reeleição em 2018, estar ao lado de Temer será suicídio político; movimento de Renan Calheiros será seguido por outros caciques da política, que pularão fora do Titanic do golpe; "do jeito que está, cai Temer para um lado e PMDB para outro"

Movimento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que, ontem, mais uma vez, explicitou seu rompimento com o golpe de 2016, é antes de tudo pragmático; político experiente, Calheiros tem pesquisa encomendada por seu filho, que governa o Estado, que mostra que 90% dos alagoanos rejeitam Michel Temer; como tanto Calheiros como o governador Renan Filho tentarão a reeleição em 2018, estar ao lado de Temer será suicídio político; movimento de Renan Calheiros será seguido por outros caciques da política, que pularão fora do Titanic do golpe; "do jeito que está, cai Temer para um lado e PMDB para outro"
Movimento do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que, ontem, mais uma vez, explicitou seu rompimento com o golpe de 2016, é antes de tudo pragmático; político experiente, Calheiros tem pesquisa encomendada por seu filho, que governa o Estado, que mostra que 90% dos alagoanos rejeitam Michel Temer; como tanto Calheiros como o governador Renan Filho tentarão a reeleição em 2018, estar ao lado de Temer será suicídio político; movimento de Renan Calheiros será seguido por outros caciques da política, que pularão fora do Titanic do golpe; "do jeito que está, cai Temer para um lado e PMDB para outro" (Foto: Giuliana Miranda)

247 - As razões para o desembarque de Renan Calheiros do governo de Michel Temer vão ficando cada vez mais claras. Político experiente, o ex-presidente do Senado explicitou ontem, mais uma vez, que seu rompimento com o golpe de 2016, é antes de tudo pragmático.

Durante uma solenidade do TRF-5, no Recife, o governador de Alagoas, Renan Filho (PMDB), afirmou que uma pesquisa interna encomendada por ele apontou Michel Temer com impressionantes 90% de rejeição no seu Estado.

Como tanto Renan Calheiros como o governador Renan Filho tentarão a reeleição em 2018, estar ao lado de Temer será suicídio político.

Diante da rejeição recorde de Temer em todo o Brasil, movimento de Renan será seguido por outros caciques da política, que pularão fora do Titanic do golpe.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247