Retrocesso sem tamanho, afirma UNE sobre retirada de entidades do Conad

O presidente da UNE, Iago Montalvão, criticou a decisão de Jair Bolsonaro de excluir as vagas destinadas a especialistas e a membros da sociedade civil, incluindo médico, psicólogo e jurista, do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad); "Excluir agentes que possam contribuir com esses conhecimentos é um retrocesso sem tamanho”, afirmou

Presidente da UNE, Iago Montalvão
Presidente da UNE, Iago Montalvão (Foto: UNE)

247 - O presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), Iago Montalvão, criticou nesta segunda-feira (22) a decisão do presidente Jair Bolsonaro de excluir, por meio de decreto, as vagas destinadas a especialistas e a membros da sociedade civil, incluindo médico, psicólogo e jurista, do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (Conad). O decreto também proíbe que discussões do Conad se tornem públicas sem autorização prévia.

”Ampliar o debate sobre as drogas no Brasil é bandeira da UNE. É uma questão que deve ser tratada do ponto de vista da saúde pública e também do ponto de vista do problema social do tráfico. Excluir agentes que possam contribuir com esses conhecimentos é um retrocesso sem tamanho”, afirmou o presidente da UNE Iago Montalvão em nota.

Com a decisão, dos 14 integrantes do Conselho, 12 serão membros com cargo de ministro ou indicados por ministério ou órgão federal, e dois integrantes de conselho estadual e órgão estadual sobre drogas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247