Ricardo Miranda: Bolsonaro prega macartismo e elege professores como alvos

Jornalista Ricardo Miranda avalia que a "Escola sem partido", defendida pelo presidente eleito, que acha que escola, professor, livros e pensamento livre são "coisas de comunistas", evoluiu para a "Escola Macartista"; "'Soldados' do fascismo começam a marchar, mostrando que, além de provavelmente montar uma baita rede de informações, como o SNI da ditadura, Bolsonaro estimulará o voluntarismo antidemocrático, o serviço sujo de informantes, nos moldes da ditadura, provavelmente com o apoio do MBL", diz ele

Ricardo Miranda: Bolsonaro prega macartismo e elege professores como alvos
Ricardo Miranda: Bolsonaro prega macartismo e elege professores como alvos

Por Ricardo Miranda, em seu blog - A "Escola sem partido" defendida pela capitão eleito, seu séquito de generais robôs, economistas toscos e por aquela parte de eleitores zumbis que acha que escola, professor, livros e pensamento livre são coisas de comunistas, evoluiu para a "Escola Macartista", onde os "soldados" do fascismo começam a marchar, mostrando que, além de provavelmente montar uma baita rede de informações, como o SNI da ditadura, Bolsonaro estimulará o voluntarismo antidemocrático, o serviço sujo de informantes, nos moldes da ditadura, provavelmente com o apoio do MBL.

"A orientação que dou a toda a garotada do Brasil: vamos filmar o que acontece nas salas de aula e divulgar", pregou Bolsonaro nas redes sociais, incentivando o dedo-durismo típico dos regimes de exceção. Os professores parecem ser o primeiro alvo de Bolsonaro, que pode ter como ministro da Educação um dos generais de pijama de seu time medíocre de futuros ministros, o fardado Aléssio Ribeiro Souto, que defende a revisão bibliográfica e curricular para evitar o "ensino partidarizado" e acredita no revisionismo da ditadura de 1964, para amacia-la em uma revolução contra o comunismo.

O incentivo à intimidação foi refletida essa semana pela deputada estadual eleita por Santa Catarina, a ruiva Ana Caroline Campagnolo (PSL), que divulgou nas redes sociais um comunicado pedindo que estudantes catarinenses gravem e denunciem manifestações político-partidárias. 1984 + Fahrenheit 451.

Leia o texto na íntegra no blog Gilberto Pão Doce

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247