RN pedirá prorrogação da presença das Forças Armadas no Estado

Prevista para acabar no dia 12, a presença dos militares no Estado reduziu os homicídios no Rio Grande do Norte: os casos caíram de 18 para um na primeira madrugada de 2018; para os aliados do governador Robinson Faria (PSD), a greve de policiais impulsiona a campanha de militares aposentados que estão à frente dos sindicatos da categoria ao legislativo estadual

Rio de Janeiro - Soldados do Exército mantêm o controle do acesso à comunidade Vila do João, onde três militares da Força Nacional foram feridos (Vladimir Platonow/Agência Brasil)
Rio de Janeiro - Soldados do Exército mantêm o controle do acesso à comunidade Vila do João, onde três militares da Força Nacional foram feridos (Vladimir Platonow/Agência Brasil) (Foto: Charles Nisz)

247 - O governo do Rio Grande do Norte vai pedir a prorrogação da presença das Forças Armadas no Estado. Prevista para acabar no dia 12, mas a redução no número de homicídios desde a chegada do Exército, na sexta (29), será usada como argumento. Os casos caíram de 18 para um na primeira madrugada de 2018.

Para os aliados do governador Robinson Faria (PSD), a greve de policiais está relacionada com a disputa eleitoral deste ano. A questão salarial impulsiona a candidatura de militares aposentados que estão à frente dos sindicatos da categoria ao legislativo estadual.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247