Rodrigo Maia e Paulo Guedes fazem as pazes para manter teto de gastos

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o ministro da Economia, Paulo Guedes, jantaram juntos na noite desta segunda-feira para se reconciliar, em nome do que mais prezam: a manutenção da política de teto de gastos

(Foto: Fernando Frazão/Ag.Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o ministro da Economia do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro jantaram na noite desta segunda-feira para se reconciliar após uma série de brigas em que houve até mesmo trocas de ofensas públicas.  

O jantar foi marcado por pedidos de desculpas, troca de elogios e discurso dos presentes. O encontro aconteceu na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Bruno Dantas, em Brasília. 

Rodrigo Maia foi aplaudido pelos presentes ao pedir desculpas a Guedes, informa a jornalista Bela Megale em sua coluna no Globo. Maia o corte dos gastos públicos.

Guedes elogiou o presidente da Câmara e voltou a fazer a apologia do teto de gastos, afirmando que não há caminho fora deste. Houve acordo sobre a adoção de uma agenda de consenso de curto prazo sobre o que chamam de reformas. 

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) e o presidente do Senado (DEM-AP) participaram do encontro e também tomaram a palavra. 

A sinalização é que, até a próxima briga entre egos, Rodrigo Maia e Paulo Guedes estão unidos em torno da visão neoliberal, da política de arrocho fiscal e dispostos a fazer esforços conjuntos para manter o poder antipopular e antinacional vigente, através do governo de extrema direita de Jair Bolsonaro

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247