Rompido com Maia, Guedes se enfraquece e é afastado das negociações com o Congresso

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi afastado das negociações sobre o andamento das propostas de reformas no Congresso. A chamada ala política do Palácio do Planalto vai conduzir os entendimentos com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, rompido com Guedes

Rodrigo Maia e Paulo Guedes
Rodrigo Maia e Paulo Guedes (Foto: Abr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em meio a um processo de fritura no governo e desgastado com os parlamentares, o ministro da Economia, Paulo Guedes não é mais o interlocutor do governo nos entendimentos com o Congresso   para a aprovação das reformas. 

A missão de negociar com o parlamento ficará a cargo da chamada ala política do Planalto.

Paulo Guedes perdeu ainda mais poder depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM) se aproximou de Bolsonaro. 

Os jornalistas Bernardo Caram, Thiago Resende , Danielle Brant e Daniel Carvalho assinalam em reportagem na Folha de S.Paulo que nas últimas semanas, Guedes tem passado por um processo de fritura dentro do governo, sendo criticado publicamente por Jair Bolsonaro. 

Bolsonaro divergiu publicamente de Paulo Guedes sobre o programa Renda Brasil. 

Paulo Guedes também é criticado por ministros das alas política e militar, que defendem uma ampliação de investimentos públicos para acelerar a retomada da economia.

A disputa entre Maia e Guedes veio a público na última quinta-feira, quando o presidente da Câmara disse em entrevista à GloboNews que Guedes proibiu seus auxiliares de conversar com ele.

Maia diz que, apesar das divergências com Guedes,  a pauta das reformas será preservada e afirmou que o importante é aprovar as matérias, não falar com o Paulo Guedes.

A relação do ministro da Economia se deteriorou não apenas com Maia, mas também com outros congressistas, que o criticam nos bastidores. 

O general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, deve assumir o papel de único interlocutor do governo com o Congresso.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email