Rui Costa Pimenta: governo Bolsonaro está em crise e Moro é a chaga dessa crise

Em entrevista à TV 247, o presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, avaliou a sustentação de Moro diante da crise do governo e dos seguidos diálogos divulgados pelo The Intercept; “Acho possível que o Moro acabe saindo do governo, a crise é muito grande”, disse Rui. O presidente do PCO também comentou sobre a votação do texto da reforma da Previdência; “No Congresso é assim: pagou, levou”, afirmou; assista

247 - O presidente do PCO, Rui Costa Pimenta, conversou com a TV 247 sobre a crise vivida pelo governo do presidente Jair Bolsonaro e o momento conturbado que vive o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Para Rui, o aumento da crise pode levar o ministro a ser “sacrificado”. O presidente do PCO também falou sobre a votação do texto da reforma da Previdência.

Rui Costa Pimenta avaliou que a crise do governo já é grave e que, se ampliada, Moro pode ser “sacrificado”. Ele também classificou o ministro do Justiça como “chaga da crise”. “A crise é profunda, não se trata somente do Intercept ter denunciado as mensagens. É evidente que a denúncia contra o Sérgio Moro é um ataque que parte de dentro do bloco golpista. A Lava Jato é um problema, não atingiu só o PT, atingiu políticos de outros partidos e pode atingir mais gente ainda. Acho possível que o Moro acabe saindo do governo, a crise é muito grande. Se a crise se ampliar tem que sacrificar o Moro, ele se tornou uma chaga dessa crise, é uma chaga exposta”.

O presidente do PCO apontou que a licença de Moro do ministério da Justiça pode ser uma tática para “sair dos holofotes” ou ser parte de uma crise pessoal do ministro. “Quanto a licença do Moro, teria que ver se é só uma política para ele tentar sair dos holofotes ou uma crise pessoal, isso é complicado mesmo. Vi alguém falando que o Moro aguenta toda pressão, imagino o sufoco dele, não é fácil não, isso pode acabar com ele, ele pode acabar até na cadeia. Agora ele está vendo a coisa toda de outro ponto de vista. Sirva como lição, no final, ele é peixe pequeno”.

Sobre a votação da reforma da Previdência, Rui disse que a articulação na Câmara dos Deputados não traz resultados positivos e que o melhor seria chamar o povo às ruas. “O que o pessoal está fazendo com a reforma da Previdência? Eles estão em Brasília, nos corredores do Congresso Nacional, tentando convencer uns deputados lá a não votarem a reforma. No Congresso é assim: pagou, levou. O Bolsonaro decidiu abrir o cofre e vai soltar uma enxurrada de dinheiro em cima daqueles deputados. Não adianta conversar com deputado, ali é tudo pilantra”.

Ele também rechaçou os votos de deputados de esquerda a favor da reforma. “Que a direita vota na Previdência, é a direita, tudo vagabundo mesmo, agora, esquerdista que votar na Previdência tem que ser completamente escrachado”. A entrevista aconteceu na última terça-feira 9, antes da aprovação da proposta em primeiro turno, na quarta-feira 10.

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247