Sakamoto: Bolsonaro quer celebrar 1964 porque não sabe como construir 2019

"É certo que Bolsonaro conseguiria nos levar de volta a 1964 – ou, pior, 1968. Mas ele consegue construir um 2019 que garanta dignidade à população no futuro?", questiona o jornalista Leonardo Sakamoto; "O presidente está no volante, mas parece que só quer engatar a ré"

Sakamoto: Bolsonaro quer celebrar 1964 porque não sabe como construir 2019
Sakamoto: Bolsonaro quer celebrar 1964 porque não sabe como construir 2019 (Foto: Dir.: Adriano Machado - Reuters)

247 - "É certo que Bolsonaro conseguiria nos levar de volta a 1964 – ou, pior, 1968. Mas ele consegue construir um 2019 que garanta dignidade à população no futuro? Daí, há três questões para refletir", diz o jornalista Leonardo Sakamoto em sua coluna no site UOL.

"Uma pessoa cunhada para a guerra é capaz de negociar pacificamente e resolver conflitos?", pergunta. 

Sakamoto faz outra reflexão. "Ele (Bolsonaro) propositadamente está deixando sua equipe entrar em combustão ou não faz ideia de como equilibrar os diferentes grupos que lhe dão suporte? O escritor e astrólogo Olavo de Carvalho, guru intelectual de Bolsonaro e família, ataca com insultos os ministros de origem militar e, principalmente, o vice, Hamilton Mourão, como parte da disputa interna de poder", afirma.

"O presidente, diante disso, permanece em silêncio e até o celebra em jantar – elevando as suspeitas de que muito do que o escritor diz representa aquilo que o presidente e a ala ideológica de sua equipe creem, mas não podem falar diretamente", acrescenta.

O jornalista questiona se Bolsonaro e "seus aliados ideológicos" realmente creem que a população acha que eles acreditam no que estão defendendo.

"Porque achar que o governo contará com 'pressão popular' para aprovar a Reforma da Previdência, do jeito que foi enviada ao Congresso Nacional, é mais hilário do que a piada do papagaio que foi crucificado por passar muito trote", continua.

"Na hora em que a população mais pobre entender a tungada que vai tomar com mudanças, como as que postergam o acesso ao salário mínimo do benefício para idosos em situação de miséria, dificultam a aposentadoria de trabalhadores rurais e endurecem pensões para viúvas e órfãos pobres, vai ter protesto nas ruas – mas contra o governo", complementa. "O presidente está no volante, mas parece que só quer engatar a ré".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Ao vivo na TV 247 Youtube 247