Sakamoto: Cientista traz dados e é demitido. Bolsonaro mente e talkey

O jornalista Leonardo Sakamoto critica a demissão do diretor do Inpe, Ricardo Galvão, que trazia dados sobre o desmatamento no Brasil; "Enquanto isso, o presidente da República mente, distorce e chuta informações diariamente em seus discursos. Não apenas dados sobre de desmatamento, claro", afirma. "O primeiro foi exonerado. O segundo segue, sorridente"

247 - O jornalista Leonardo Sakamoto critica de demissão do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, que trazia dados sobre o desmatamento no Brasil, problema bastante criticado no exterior duranta o atual governo de Jair Bolsonaro. 

"Enquanto isso, o presidente da República mente, distorce e chuta informações diariamente em seus discursos. Não apenas dados sobre de desmatamento, claro", escreve o jornalista em seu blog. "O primeiro foi exonerado. O segundo segue, sorridente".

"O presidente do INPE foi criticado por conta dos dados do sistema Deter – que, desde 2004, produz alertas diários de alteração na cobertura vegetal de áreas maiores que três hectares e são enviados automaticamente ao Ibama", reforça. 

Segundo o colunista, "os dados ficam disponíveis no site da instituição para toda a sociedade e, mensalmente, é divulgado um boletim com a situação do mês anterior". Não serve para totalização de desmate, o que fica a cargo do sistema Prodes, mas para indicação de aumento de perda de cobertura florestal e a força da tendência. Ou seja, ele trouxe dados científicos e foi atacado, chamado de mentiroso, de tramar com ONGs contra o país, enfim, de um leque de alucinações".

Leia a íntegra no Blog do Sakamoto

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247